O Presidente dos EUA, Donald Trump, chegou a pedir a colaboradores próximos e responsáveis pela política de imigração norte-americana que estudassem a possibilidade de ser construída na fronteira com o México uma trincheira com jacarés e cobras.

“Em privado, o Presidente falou com frequência sobre a possibilidade de fortalecer um muro na fronteira com uma trincheira cheia de água e com cobras e jacarés, instando os seus colaboradores a fazerem uma estimativa de custos”, diz o The New York Times. Além disso, diz aquele jornal, Donald Trump queria que o muro na fronteira fosse “eletrificado e com espigões capazes de cortar carne humana no topo”.

Além disso, Donald Trump terá insistido com a sua equipa sobre a possibilidade de o exército poder disparar contra os migrantes, apontando para as suas pernas.

Os pedidos terão sido feito numa reunião em março deste ano, sobre a qual o The New York Times publica agora detalhes, naquilo que é uma pré-publicação adaptada do livro “Border Wars: Inside Trump’s Assault on Immigration”, dos autores Michael D. Shear and Julie Hirschfeld Davis, jornalistas daquela publicação.

Nessa reunião, que estava agendada para durar 30 minutos mas que acabou por passar das duas horas, Donald Trump demonstrou desagrado com a sua equipa, sobretudo com a então secretária de Segurança Interna, Kirstjen Nielsen.

“Vocês estão a fazer-me passar por idiota”, disse Donald Trump, pedindo à sua equipa que colaborasse para que fosse aumentada a política de controlo de migração, incluindo o fecho da fronteira com o México na sua totalidade, impedindo a entrada de pessoas e bens. “A minha campanha foi sobre isto, isto é a minha causa.”

Em conversa com Kirstjen Nielsen, cuja prestação como secretária de Segurança Interna não agradou a Donald Trump, que a despediu em abril deste ano, o Presidente dos EUA terá ainda desconsiderado o facto de o exército não ter autorização legal para abater drones utilizados pelas redes de tráfico na fronteira Sul dos EUA.

“Kirstjen, não me ouviste à primeira, querida”, terá dito Donald Trump. “Dispara neles. Querida, dispara neles, ok?”