A fabricante de automóveis Honda vai deixar de produzir na Europa carros exclusivamente movidos a gasolina até 2022, está a noticiar a Sky News. Dentro de três anos, a marca pretende manter no mercado europeu apenas os automóveis híbridos ou elétricos, cuja produção vai aumentar. Esta é uma estratégia da Honda para cumprir a meta que definiu para 2025: tornar-se mais elétrica e menos poluente.

No final do ano passado, a fabricante já tinha anunciada que pararia totalmente a produção de carros excusivamente a diesel em 2021, quando o Civic 1.6 de 120 cavalos sair do mercado. A reestruturação do mercado da Honda na Europa é uma tentativa da marca para ajustar-se à nova meta de emissões da União Europeia, que irá impor um limite máximo de 95 g/km de CO2 até 2021.

Nada disto significa que os motores a combustíveis fósseis vão ser completamente ignorados pela marca japonesa. Além dos carros elétricos, esse sim livres de combustíveis fósseis, a Honda tenciona apontar as suas baterias principalmente para os híbridos, isto é, os automóveis com uma locomoção que combina o sistema de combustão tradicional usada nos motores com um sistema elétrico de abastecimento.

As novidades da Honda surgem na mesma semana em que a marca anunciou o encerramento da fábrica em Swindon, Inglaterra. É a única fábrica da Honda na União Europeia, mas servia apenas para produzir os modelo Civic que vão ser extintos. Entretanto, a Honda confirmou que planeia trabalhar com a Vattenfall, na Suécia, num acordo de distribuição elétrica mais barata para os clientes.