A PSP abriu um processo disciplinar contra o ex-sindicalista Manuel Morais, agente do Corpo de Intervenção, que criticou a participação do deputado do Chega, André Ventura, na manifestação dos polícias de novembro.

A notícia é avançada pelo Diário de Notícias, que cita fonte oficial da PSP: “O Sr. Agente Principal Manuel Morais tem em curso um procedimento disciplinar, na fase de averiguações, por reporte de comportamento suscetível de violar a disciplina e deontologia dos profissionais da PSP”.

Manuel Morais — que em maio deste ano se demitiu da Associação Sindical de Profissionais de Polícia depois de ter denunciado situações de proconceito e racismo na PSP — foi muito crítico da presença de André Ventura no protesto das polícias do mês passado.

“Senti nojo. Houve um assalto de Ventura à manifestação, o que não é admiração para ninguém atento”, afirmou Manuel Morais em declarações ao Expresso, poucos dias depois da manifestação.

Os estatutos da PSP proíbem os polícias de “fazer declarações que violem” a “isenção ideológica e partidária” a que estão obrigados — o que pode ter sucedido neste caso, com a crítica ao partido de André Ventura.