As eucaristias com assistência foram proibidas, as procissões a pé também e o desejo de estar mais próximo dos fiéis não deixava descansar o padre José Fernando Ferreira, natural de Felgueiras e pároco de Moscavide há 9 anos. Em conversa com um colega decidiu sair à rua de uma forma original para transmitir mensagens de fé e esperança a todos os que estão em casa.

A iniciativa começou na semana passada quando no dia de S. José, dia do pai, o padre colocou a figura de S. José no tejadilho do seu carro, prendeu duas colunas amplificadoras e percorreu “ruas, vielas e becos” de Moscavide. Em marcha lenta, com música sacra e dizendo ao microfone frases como “Deus nos abençoe, proteja e livre da pandemia”; “Força, nunca desanimar”, “Fiquem em casa. Ajudemo-nos uns aos outros”.

“O objetivo é manter viva a esperança, dar apoio aos que estão em casa, para que não desesperem e não caiam no suicídio”, explica o padre ao Observador, acrescentando que em três horas faz um percurso com paragens obrigatórias no centro de saúde e no comando metropolitano de Lisboa da PSP.

Dias depois, foi a vez da figura de Nossa Senhora de Fátima ocupar esta espécie de andor sobre rodas. “Uns choram, outros batem palmas e estendem uma colcha branca à janela. Também há quem me mande para casa, mas enquanto não for abordado pela polícia irei continuar”, promete José Fernando Ferreira, que quer sair à rua uma vez por semana e adianta que o Santo António será o próximo santo a desfilar pelas ruas de Moscavide.

Todos os dias às 18h, o padre transmite em direto a eucaristia pelo Facebook e todas as noites, pelas 22h, põe a tocar nos amplificadores sonoros junto ao sino da igreja o hino nacional, tudo para “dar conforto espiritual” em época de pandemia.