O ministro dos Negócios Estrangeiros e ex-líder do Movimento 5 Estrelas (M5S), Luigi di Maio, tenciona lançar dentro da União Europeia (UE) a discussão sobre paraísos fiscais dentro da própria UE, com o objetivo de atingir politicamente os Países Baixos (Holanda).

A notícia é avançada por fontes do Ministério à Agenzia Italia, que dizem que Di Maio defendeu a decisão numa reunião com a equipa há apenas alguns dias. “É um tema que tem de ser abordado na Europa, não podemos continuar com este duplo padrão”, terá dito o líder da diplomacia italiana.

As mesmas fontes explicam à Agenzia Italia que a intenção de Di Maio é a de expor países europeus que “não praticam aquilo que pregam” — uma referência que a imprensa italiana entende como sendo dirigida à Holanda.

De acordo com a imprensa especializada, a Holanda terá sido o país que mais se opôs à realização de um acordo inicial no Eurogrupo para ajudar os países europeus mais afetados pela pandemia do novo coronavírus. O governo do país tem-se mantido firme na exigência de que haja algum tipo de condições relativamente às finanças públicas dos países que usufruam dos empréstimos europeus.

António Costa irritado: “Excedi-me? Estão a brincar comigo.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O ministro das Finanças holandês, Wopke Hoekstra, chegou mesmo a afirmar que seria necessário investigar por que Espanha e Itália não têm margem orçamental para lidar com esta crise — declarações que o primeiro-ministro português, António Costa, classificou de “repugnantes” e pelas quais Hoekstra acabou por pedir desculpa.