Surgiram alguns vídeos e textos virais, na Internet, a sugerir que uma substância chamada quinino pode produzir um efeito semelhante à hidroxicloroquina (a substância que Donald Trump diz ser eficaz no tratamento da Covid-19, embora contrariado por vários cientistas) e que, por isso, pode ajudar a prevenir a infeção pelo novo coronavírus ou atenuar os seus efeitos na saúde. Ora, essa substância – o quinino – é um dos elementos que constam da composição de águas tónicas como as da marca Fevertree.

A marca britânica diz ter sido questionada por vários consumidores e, por isso, decidiu criar uma secção no seu site em que confirma que o quinino começou há cerca de 350 anos a ser usado para tratar a malária. Trata-se de um elemento natural extraído da árvore Cinchona – a tal “fevertree” – que, de facto, foi distribuído no século XIX pelo exército britânico para tentar evitar que os soldados na Índia contraíssem malária.

O problema é que o quinino é amargo, pelo que os soldados o misturavam com água, açúcar e frutos. “Foi, no fundo, assim que se criaram as primeiras águas tónicas”, diz a empresa, lembrando que os soldados tinham direito a uma ração de gin, vindo dessa mistura, portanto, a criação do gin tónico.

Soldados britânicos na Índia tomam quinino para prevenir a malária. Foto: Website da Fevertree

A Fevertree usa quinino real, extraído da árvore (ao passo que outras marcas usam aromatizantes sintéticos), mas a marca deixa uma advertência: “não aconselhamos o consumo da nossa água tónica para qualquer outro objetivo que não fazer uma bebida saborosa para ajudar a manter o ânimo em alta durante este período difícil“.

A marca sublinha que “as evidências científicas para travar a propagação do coronavírus é manter o distanciamento social – manter uma distância segura entre si e todas as pessoas que não pertencem ao seu agregado familiar – e manter uma higiene pessoal excelente – lavar as mãos com muito cuidado e usar gel desinfetante”.

É verdade que a hidroxicloroquina é um medicamento criado a partir da estrutura química do quinino mas “não há quaisquer provas científicas de que o quinino ou mesmo a hidroxicloroquina possam proteger as pessoas, ou tratar a Covid-19”. As águas tónicas comercializadas pela Fevertree contêm quinino – numa quantidade que é “um segredo bem guardado” e aprovada pelas autoridades alimentares – mas essa quantidade é “muito inferior” à que se encontra concentrada nos medicamentos que existem contra a malária, sublinha a empresa.

A Fevertree, cuja empresa-mãe está cotada em bolsa, disse recentemente ser impossível dar pistas aos investidores sobre como é que estão a reagir as vendas das águas tónicas, tendo em conta as consequências imprevisíveis dos lockdowns decretados em vários países e também no Reino Unido. Ainda assim, vai divulgar os resultados e contas na próxima semana, no dia 22 de abril, como mandam as regras das empresas cotadas.