O secretário de Estado para a Saúde Pública angolano anunciou esta terça-feira que as autoridades sanitárias vão fazer colheita de amostras, nos próximos três dias, de todos os passageiros provenientes de Lisboa entre 17 e 19 de março.

Franco Mufinda, que falava em Luanda no balanço diário da situação epidemiológica, anunciou que a partir de 29 de abril vão ser colhidas amostras aos passageiros provenientes de países com circulação comunitária que ainda não tenham sido testados, divididos por dias, filas de avião e horários.

Na quarta-feira, está prevista a colheita de amostras para os passageiros de dois voos Lisboa-Luanda, em 17 de março, no Hospital Américo Boavida e na Escola Nacional de Saúde Publica (ENSP).

Na quinta-feira serão testados passageiros de mais um voo Lisboa-Luanda em 17 de março, no Hospital Américo Boavida, e de passageiros provenientes de Lisboa em 18 de março na ENSP.

Na sexta-feira serão colhidas amostras de outro voo de 18 março e de um voo de 19 de março, ambos provenientes de Lisboa, sendo “comunicados oportunamente” os voos subsequentes.

Angola mantém neste momento 27 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus, num total de 2.312 amostras recolhidas com sete pacientes recuperados, 18 ativos e dois óbitos, sem novos casos diagnosticados nas últimas 24 horas.

Encontram-se ainda 283 amostras em processamento e 708 pessoas em quarentena institucional, estando a ser seguidos 404 casos suspeitos.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou cerca de 212 mil mortos e infetou mais de três milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Mais de 832 mil doentes foram considerados curados.Em Portugal, morreram 948 pessoas das 24.322 confirmadas como infetadas, e há 1.389 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.