Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Talvez a retirada de confiança mais mediática da história recente da política nacional tenha acontecido com Joacine Katar Moreira e o partido Livre, do qual era deputada única na Assembleia da República no início da atual legislatura, mas esta história, a de um eleito se afastar das posições oficiais do partido, não é nem nova e nem sequer exclusivo da esquerda ou da direita. Sobretudo, se olharmos para o que se passa a nível local.

Mas nem todas têm o picante da mais recente rutura política. Ou, dito de outro modo, nem todas conseguem varrer um espectro tão grande do ponto de vista ideológico: começar no Bloco de Esquerda e acabar com suspeitas de aproximação ao Chega. E foi exatamente isto que aconteceu no município de Salvaterra de Magos, no distrito de Santarém, com uma deputada eleita nas autárquicas de 2017 como cabeça-de-lista à Assembleia Municipal.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.