A aposta nos veículos mais amigos do ambiente, com destaque para os eléctricos, é mais do que evidente na estratégia do Governo francês para ajudar a recuperar a indústria automóvel local. Com necessidade de incentivar as vendas, o Estado está na disposição de “atirar dinheiro” para cima do problema e reuniu cerca de 1300 milhões de euros para atingir os seus objectivos. Em alguns casos, a redução do preço final ronda 40%.

Quem desejar adquirir um modelo eléctrico, alimentado por bateria ou fuel cell, pode receber um incentivo total de 12.000€, com uma componente de incentivo directo e outra referente ao abate de um carro antigo, o que coloca França na liderança dos países com as ajudas mais generosas para os veículos que não emitem CO2. Assim sendo, um Renault Zoe ou um Peugeot e-208, cujo preço ronda 30.000€, obriga apenas ao investimento de 18.000€, um valor que os coloca praticamente em pé de igualdade com os concorrentes a gasolina ou diesel.

De acordo com a Automotive News, os proprietários que aceitem abater os seus velhos e poluentes modelos podem receber uma ajuda de 5.000€, caso pretendam trocá-lo por uma viatura mais moderna e menos poluente, com o valor a ascender a 7000€ caso o novo veículo seja eléctrico, valor que integra os 12.000€ já mencionados. Os restantes 5000€ dizem respeito às ajudas específicas para os modelos eléctricos.