Nos últimos quatro dias houve um aumento de 723% nas reservas para Portugal — a percentagem, fornecida ao Jornal de Notícias pelo On The Beach, um dos maiores operadores britânicos de férias de praia, tem por comparação os dias que antecederam a decisão do Reino Unido de incluir Portugal nos “corredores aéreos”. Apesar de muitas pessoas terem aproveitado as ofertas de última hora, 72% destas reservas consideram viagens em setembro e outubro.

Portugal sai da “lista negra” do Reino Unido nos “corredores aéreos”

Uma situação idêntica refletiu-se no mercado do alojamento local. O JN cita dados da plataforma AirDna (que monitoriza as reservas do Airbnb): na semana que passou, comparativamente com a semana anterior, registou-se um aumento de reservas na vila de Carvoeiro (47%), em Quarteira (44,6%), em Albufeira (42,2%) e em Lagos (19,6%).

José Theotónio, CEO do grupo Pestana, refere que estão a “cerca de 50% da procura que havia há um ano nesta mesma semana”, mas que não se pode falar “em percentagem de aumento porque a procura era inexistente”. Algarve é, para o grupo hoteleiro, a região mais procurada. Depois Lisboa, Porto e Madeira. Já Eliderico Viegas, da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, diz que é “preciso mais tempo para contabilizar o impacto das reservas”.

Pode ouvir aqui a reação do Presidente da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve na Rádio Observador:

Reservas de britânicos no Algarve disparam 723%, mas “preços não vão aumentar”, garantem hoteleiros

De acordo com o mesmo jornal, os bilhetes de avião para Faro subiram entre 400% e 1250%, sendo que a Ryanair anuncia o aumento de voos entre Reino Unido e Faro esta quarta-feira. Também a TAP fala “em procura expressiva” para ligações entre Reino Unido e Portugal.