A Áustria vai realizar uma campanha de testes à Covid-19 em grande escala, na tentativa de encurtar o segundo confinamento que vai começar na terça-feira, afirmou este domingo o chanceler do Governo de Viena, Sebastian Kurz.

O chanceler, em referência à testagem em grande escala na vizinha Eslováquia, afirmou à rádio pública ORF que o seu governo decidiu “seguir o mesmo caminho”. Dois terços da população foi testada há duas semanas, sendo que os resultados revelaram um pouco mais de 1% de casos positivos.

No sábado, Kurz anunciou o reforço das medidas contra o vírus na Áustria, com o encerramento de escolas e lojas não-essenciais a partir de terça-feira e até 6 de dezembro, a fim de travar o surto de contaminações, e exortou os seus concidadãos a evitarem qualquer tipo de contacto. Já este domingo, explicou que os testes em larga escala podem permitir que o país reabra em dezembro, sem especificar se esse programa estaria na mesma escala da Eslováquia.

“Queremos estabelecer testes em grande escala no final do confinamento para que as escolas e outros setores possam reabrir com segurança”, apontou o chanceler, acrescentando que os professores estariam entre os primeiros a serem testados.

“Sabemos que muita gente se preocupa com poder comemorar [o Natal] no mínimo, com pelo menos alguns dos seus parentes”, prosseguiu.

O Governo vai dar mais detalhes sobre o projeto na próxima semana, que será um “desafio logístico”, segundo Kurz. O chanceler foi criticado por demorar em aplicar ações mais drásticas no outono, quando o surto começou a crescer novamente.

O confinamento parcial foi introduzido há duas semanas, sem conseguir travar a propagação do vírus. Com 8,8 milhões de habitantes, a Áustria foi relativamente poupada na primeira vaga da pandemia, mas a segunda vaga está a colocar uma grande pressão nos hospitais do país.

As autoridades registaram hoje 5.665 novos casos — um número menor do que nos dias anteriores — e, pela primeira vez desde 02 de outubro, o número de infeções ativas diminuiu. Porém, o número de pacientes em Unidades de Cuidados Intensivos (quase 600 pessoas) aumentou 30% numa semana. No total, 1.829 pessoas morreram devido à covid-19 na Áustria, de acordo com o boletim oficial.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.313.471 mortos resultantes de mais de 54 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.