O presidente do Parlamento Europeu (PE), David Sassoli, avisou esta quinta-feira, durante uma conferência de alto nível sobre as Migrações e Asilo na Europa, que a União Europeia (UE) só será “um ator global credível” se enfrentar o desafio migratório.

O presidente do Parlamento Europeu referiu que não se deve esquecer que, “por trás dos números”, estão “pessoas e histórias”, que devem estar na base de “todas as políticas eficazes sobre a migração e o asilo”, e que a UE “deve acolher” as pessoas “que lhe pedem proteção”.

“Fazer com que a Europa se torne um ator global, consciente da sua força, vem do facto de ser uma grande potência económica, mas também de ser um modelo, de respeitar a democracia, de respeitar a dignidade de todos os seres humanos”, referiu David Sassoli.

Enumerando um conjunto de diretivas que irão guiar o PE nas negociações com o Conselho da UE sobre o novo Pacto para as Migrações e Asilo, Sassoli referiu que, além de uma maior “distribuição de responsabilidade entre os Estados-membros”, deve também ser estabelecido “um sistema de regras partilhadas para o salvamento no mar”.

“[Deve ser desenvolvido] um sistema de regras partilhadas para o salvamento no mar e o desembarque, sem criminalizar quem salva [essas vidas], porque estão a fazer isso em nosso nome, em nome dos nossos valores”, sublinhou o presidente do PE.

Sassoli frisou ainda que é necessário um “trabalho comum das forças de polícia e de inteligência para desmantelar as organizações criminosas” que operam nas rotas migratórias e a criação de parcerias com “países de origem e trânsito de fluxos migratórios”.

“Precisamos de parcerias globais, transparentes e sujeitas a controlo democrático (…) que não se concentrem [apenas] na imigração, mas que envolvam estrategicamente vários setores (…) e que permitam criar percursos regulares e controlados para uma migração regular por razões de estudo e de trabalho”, frisou.

Sassoli concluiu referindo que, para tal, a “África será um parceiro estratégico”.

“A nossa relação com África é o desafio geopolítico que a UE deve, sem qualquer dúvida, aceitar. Senão, isso será feito por outros”, apontou o presidente do PE.

A conferência organizada esta quinta-feira pelo Parlamento Europeu reúne eurodeputados e deputados nacionais para discutir os desafios relativos ao asilo e às migrações na Europa e procura dar início a um processo de discussão entre parlamentos sobre a questão.

A sessão desta manhã é feita sob o auspício do trio das presidências alemã, portuguesa e eslovena do Conselho da UE e conta nomeadamente com uma alocução do presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, mas também da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.