Com a descoberta da nova variante do coronavírus no Reino Unido, que pode ser até 71% mais transmissível, vários países estão a aplicar restrições às viagens que daí partam. Agora, foram os EUA a decidir nesse sentido. Segundo o The New York Times, os passageiros que chegarem do Reino Unido só podem entrar nos EUA se apresentarem um teste negativo, feito até 72 horas antes da viagem. A decisão foi anunciada pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) e entra em vigor na segunda-feira. Aplica-se tanto a norte-americanos como a cidadãos estrangeiros.

“Este requisito de testagem adicional fortalecerá a proteção dos americanos para melhorar a sua saúde e segurança e garantir viagens internacionais responsáveis”, adiantou o CDC em comunicado. Se um passageiro escolher não fazer o teste, “a companhia aérea deve negar-lhe o embarque”.

Nova variante do Reino Unido pode ter-se tornado dominante por acaso

Esta decisão representa uma mudança face ao que Donald Trump tinha estipulado inicialmente: que o governo não iria obrigar à testagem de viajantes oriundos do Reino Unido.

A decisão de criar restrições à entrada de viajantes do Reino Unido está a ser implementada por diversos países, depois de o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, ter revelado que a nova variante do coronavírus pode ser até 71% mais transmissível. No domingo, o Governo português decidiu que apenas os residentes em Portugal ou os cidadãos portugueses (e seus familiares) vindos do Reino Unido podem entrar em território nacional, mas com um teste negativo.