Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

(Em atualização)

O Supremo Tribunal Administrativo aceitou a providência cautelar interposta por proprietários do Zmar para suspender a requisição civil  decretada pelo Governo para o complexo turístico, confirmou o advogado à Rádio Observador. Já o Executivo garante que ainda não foi notificado da providência cautelar, mas diz que já instruiu os serviços jurídicos para preparar “a resolução fundamentada que garante a manutenção da produção de efeitos [da requisição civil]”.

Providência cautelar aceite. “Estas pessoas têm de sair do Zmar”

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.