A chanceler alemã, Angela Merkel, criticou duramente Portugal, esta terça-feira, por ter deixado entrar turistas britânicos no país, sabendo do elevado número de casos de infeção da variante Delta no Reino Unido.

“Temos uma situação em Portugal que talvez pudesse ter sido evitada, e é por isso que temos de trabalhar ainda mais arduamente”, afirmou a chanceler alemã em conferência de imprensa em Berlim, citada pelo Politico.

“O que lamento é que ainda não tenhamos conseguido um comportamento uniforme entre os Estados-membros em termos de restrições a viagens. É um tiro pela culatra”, lamentou, ao lado da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Variante Delta. Onde estamos melhor e pior do que o Reino Unido

As declarações de Merkel referem-se à permissão dada por Portugal para a entrada de turistas britânicos no território nacional há cerca de um mês, uma decisão considerada fundamental pelo Governo para estimular a economia. Outros países, como a Alemanha ou a França, decidiram manter restrições mais apertadas em relação às pessoas provenientes do Reino Unido devido à disseminação da variante Delta, mais contagiosa, em território britânico.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Reino Unido não faz parte da lista de países considerados seguros para viajar devido à sua situação sanitária. A lista, no entanto, não é vinculativa, funcionando apenas como uma indicação para os Estados-membros da União Europeia.

Com a entrada de turistas britânicos em Portugal, um dos momentos que gerou mais críticas foi durante a final da Liga dos Campeões, no Estádio do Dragão, entre o Chelsea e o Manchester City (com vitória para os londrinos), no final de maio. Nessa altura, milhares de britânicos vieram para Portugal, não só para assistir ao jogo no Porto, mas também para visitar outras zonas do país.

Dias depois, Portugal viria a ser retirado da lista verde do Reino Unido devido ao aumento de casos associados a uma mutação da variante Delta, uma decisão que, na altura, foi criticada pelo Governo português, que disse tratar-se de uma “decisão cuja lógica não se alcança”.

Delta já é a variante dominante em Lisboa e Vale do Tejo. A Norte continua a ser a Alfa

Nas últimas semanas, a variante Delta tem vindo a disseminar-se pelo país, e, atualmente já é dominante na região de Lisboa e Vale do Tejo, representando mais de 60% dos novos casos diários de infeção. Para tentar conter o aumento de novos casos, o Governo impôs uma limitação de entradas e saídas de e para a Área Metropolitana de Lisboa a fim de semana.