Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ondas de calor na América do Norte, fogos na Sibéria e cheias na China, são alguns dos fenómenos extremos que têm colocado populações em risco nas últimas semanas. Dizer que são uma causa direta das alterações climáticas não é fácil — pelo menos não imediatamente. Mas não parece haver dúvidas que a ação do homem no planeta aumenta drasticamente a probabilidade de ocorrência destes fenómenos meteorológicos extremos.

A onda de calor no Canadá é culpa das alterações climáticas? É difícil dizer — mas condições para a tragédia vão tornar-se mais frequentes

Temos de esperar mais uns dias para dizer se as cheias na Alemanha e Europa central foram resultado de um fenómeno influenciado pelas alterações climáticas, disse Pedro Matos Soares, investigador no Instituto Dom Luiz, em declarações à SIC Notícias. “Já temos modelos, e ferramentas estatísticas para análise desses modelos, que nos permitem calcular qual era a probabilidade de um fenómeno ocorrer com e sem a ação humana”, acrescentou o especialista em alterações climáticas.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.