Terminado o décimo dia dos Jogos Olímpicos de Tóquio importa, como sempre, recordar as prestações dos atletas portugueses. Esta segunda-feira, desde apuramentos para meias-finais a honrosos diplomas olímpicos, os atletas nacionais estiveram mais uma vez em destaque.

Liliana Cá e Irina Rodrigues (lançamento feminino do disco)

Numa competição que chegou a estar parada devido à chuva (que acabou por resultar numa queda e lesão da portuguesa), Liliana Cá conseguiu sair de Tóquio com um diploma olímpico ao terminar o lançamento do disco feminino no quinto lugar. É a melhor classificação de sempre de uma portuguesa na disciplina, com um lançamento de 63,93 metros. Até hoje, os melhores resultados lusos estavam na posse da anterior recordista nacional, Teresa Machado, com o 10.º lugar em Atlanta 1996 e o 11.º em Sydney 2000. Liliana Cá, natural do Barreiro, detém o recorde nacional de 66,40 metros.

Já Irina Rodrigues terminou a sua terceira presença olímpica no 25.º lugar, depois de ter sido 32.ª em Londres 2012 e desistido no Rio2016, devido a uma fratura do perónio, já na Aldeia Olímpica. Assim, consegue também o seu melhor resultado de sempre em Jogos Olímpicos.

Joana Vasconcelos e Teresa Portela (Canoagem — K1 200 metros femininos)

Sortes diferentes para as portuguesas, esta segunda-feira, no K1 200 metros femininos. Na quarta ronda de qualificação, Teresa Portela conseguiu um resultado melhor que o de Joana Vasconcelos e cruzou a meta na segunda posição, qualificando-se de imediato para as meias-finais (que só acontecem amanhã). Já Joana Vasconcelos conseguiu a repescagem, depois de ter sido quinta classificada na primeira eliminatória, mas não foi além da quarta posição e terminou a sua participação nesta modalidade (resta-lhe competir nos K1 500).

Fernando Pimenta (Canoagem — K1 1000 metros masculinos)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Fernando Pimenta, atleta que leva mais de 100 medalhas em grandes competições internacionais e que é um dos elementos apontados às medalhas nesta distância, acabou a terceira eliminatória no primeiro lugar com o tempo de 3.40,323, numa prova onde já estava na frente e com vantagem nas passagens pelos 250 e 500 metros, gerindo depois esse avanço. Na manhã desta terça-feira, o canoista vai tentar garantir a sua quarta final olímpica, após a medalha de prata em K2 1000 com Emanuel Silva em Londres 2012, do quinto lugar no K1 1000 e na sexta posição em K4 1000, ambos no Rio de Janeiro 2016. O português fez ainda o K2 200 em Londres, terminando no 14.º lugar.

Marta Pen e Salomé Afonso (Atletismo — 1500 metros femininos)

Marta Pen esteve fora, mas acabou por ser confirmada nas meias-finais dos 1500 metros depois do apelo do Comité Olímpico Português. De recordar que a atleta portuguesa foi apenas 10.ª na respetiva eliminatória depois de chocar contra a marroquina Rababe Arafi, que parou, não conseguindo depois retomar o ritmo para se aproximar do grupo da frente. Já Salomé Afonso ficou em 13.º e não conseguiu apuramento para a fase seguinte.

Lorène Bazolo (Atletismo — 200 metros femininos)

A portuguesa Lorène Bazolo não passou nas semifinais dos 200 metros e ficou aquém do seu recorde pessoal. Bazolo terminou a primeira série das semifinais no sétimo lugar, em 23,20 segundos, ficando fora dos lugares de apuramento para a final, marcada para terça-feira, às 21h50 locais (13h50 em Lisboa). Lorène Bazolo avançou para as semifinais com o 27.º registo da qualificação e o segundo lugar na quinta série, em 23,21 segundos. Bazolo cumpre a terceira participação olímpica, depois de ter sido 52.ª nos 100 metros em Londres 2012 pelo Congo e, já por Portugal, 28.ª e 30.ª nos 100 e 200 metros no Rio 2016, respetivamente. A veterana velocista, de 38 anos, detém o recorde nacional dos 100 metros (11,15 segundos) e tem como melhor marca pessoal nos 200 metros os 22,93 segundos, ambas estabelecidas este ano.