Obrigado por ser nosso assinante. Usufrua de leitura ilimitada deste e de todos os artigos do Observador.

Este sábado, inúmeros apoiantes do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, manifestaram-se junto ao capitólio, em Washigton D.C.. Como avança a Reuters, os elementos das autoridades no local superam os manifestantes e mantém-se “de alerta” devido à invasão de 6 de janeiro.

O protesto foi organizado por Matt Braynar, um apoiante das teorias de Donald Trump de que a sua derrota eleitoral era o resultado de uma fraude generalizada.

Os manifestantes presentes têm entoado frases de apoio ao antigo presidente dos EUA, dizendo que foi defraudado nas últimas eleições que o tiraram do cargo e elegeram Joe Biden, o atual presidente do país.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nos últimos dias, a Guarda Nacional reforçou a fiscalização no aeroporto da capital dos EUA e em torno do capitólio. Até agora, apenas estão presentes cerca de duas centenas de pessoas em torno do edifício, um número bastante inferior ao que as autoridades esperavam — em janeiro estiveram cerca de 700.

Previamente a este protesto que, segundo os responsáveis, será “pacífico”. Mesmo assim, o responsável da polícia do capitólio, J. Thomas Manger, afirmou que as autoridades receberam várias ameaças.

Por detrás dos receios deste sábado está a invasão ao capitólio a 6 de janeiro, na qual morreram quatro pessoas. Motivados por uma manifestação a favor do então derrotado, mas ainda presidente, Donald Trump, vários membros de grupos ligados ao antigo presidente, como os “Proud Boys”, os “Oath Keepers” e os “Three Percenters”, foram julgados devido à participação no incidente.