“A agenda cheia estava planeada desde o inicio”, garante Fernando Medina na manhã desta quinta-feira, depois de ontem à noite ter sido conhecida uma sondagem que o coloca a 10 pontos percentuais de Carlos Moedas. O presidente e candidato do PS diz que é “preciso ter nervos de aço durante estes dias em que vão ser conhecidas várias sondagens”, mas à tarde continua a atacar a direita ao lembrar o legado de Assunção Cristas — que hoje esteve com Carlos Moedas: “Não serei eu a dar lições a Carlos Moedas nem a tirar lições de Assunção Cristas, aliás, tiro uma. É lamentável que estes anos todos depois ainda continue a defender a lei das rendas”.

Fernando Medina tem tido ao longo destas duas semanas a habitação como grande cavalo de batalha, procurando defender a política de construção de habitação mas também os projetos da renda apoiada e da renda acessível, um assunto em que tanto ataca a direita — por entender que o mercado se regula a si próprio –, como a esquerda — por ter preconceitos ideológicos que impedem a disponibilização de mais habitações. Hoje, num dia em que Assunção Cristas, vereadora da autarquia de Lisboa nos últimos quatro anos, foi demonstrar publicamente o apoio a Carlos Moedas, Fernando Medina diz que a única lição a tirar do mandato da antiga líder do CDS é que “é lamentável que Moedas continue a defender a lei das rendas que tanto tem prejudicado sobretudo os mais idosos de bairros como este”, dizia com o Bairro Alto como pano de fundo.

[Ouça aqui a reportagem da Rádio Observador]

Medina. “Só tiro uma lição de Assunção Cristas”

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.