Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

José Matos Correia, antigo vice-presidente do PSD e apoiante da candidatura de Paulo Rangel, concorda com a antecipação do Congresso do PSD, como tinha pedido a candidatura de Rangel.

Rangel vai pedir antecipação do Congresso do PSD

Para o antigo deputado social-democrata, a crise política deverá provocar eleições antecipadas, e isso obriga a antecipar o calendário interno do PSD. José Matos Correia acredita que encurtar o tempo entre as eleições internas e o Congresso, com o objetivo de estar mais bem preparado para o (cada vez mais provável) ato eleitoral, é a opção mais lógica.

À Rádio Observador, o antigo vice-presidente do PSD comenta ainda esta eventual ida às urnas no início do próximo ano. Questionado se teme que os sociais-democratas estejam impreparados, José Matos Correia responde perentoriamente: “Não temo rigorosamente nada que isso venha a acontecer. Quem tem de ser penalizado é quem levou ao país ao ponto em que estamos agora”.

[Ouça aqui a entrevista a José Matos Correia]

“Com um novo líder, o PSD tem todas as condições de vencer possíveis eleições”

O ex líder da bancada do PSD pisca ainda o olho ao futuro a Paulo Rangel: “Com um novo líder, que seja capaz de transmitir uma mensagem que a atual direção política não conseguiu trazer, (o PSD) tem todas as condições para obter a vitória eleitoral“, remata.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

José Matos Correia ressalva que não faz parte da estrutura da candidatura do eurodeputado, mas  é antes um apoiante. Diz acreditar num PSD com Paulo Rangel ao leme.