Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Hartlepool, no nordeste de Inglaterra, é neste momento o epicentro do terramoto político em Inglaterra e uma cidade que ajuda a explicar muito do que aconteceu no Reino Unido nos últimos cinco anos. Desde que este círculo eleitoral foi criado, em 1974, o Partido Trabalhista (Labour) sempre foi o partido mais votado, inclusive em 2019, quando, a nível nacional, o partido então liderado por Jeremy Corbyn registou o seu pior resultado em legislativas em largas décadas. Mas tudo mudou na passada quinta-feira.

Jill Mortimer, candidata do Partido Conservador, ‘esmagou’ Paul Williams, arrecadando 51,9% dos votos em Hartlepool contra os 28,7% conseguidos pelo seu adversário do Labour. Em causa estava a eleição antecipada para um assento na Câmara dos Comuns, na sequência da demissão do deputado trabalhista Mike Hill, que deixou o lugar vago após ver-se envolvido num escândalo de assédio sexual.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.