Onde 100 mil euros compram mais casa? Em Braga

11 Janeiro 20151.107

Com o mesmo dinheiro, é possível comprar uma casa em Braga cinco vezes maior do que em Lisboa. A nível global, os metros quadrados portugueses são baratos: no Mónaco custam 25 vezes mais.

Há cinco anos que o preço dos imóveis está a descer. Em novembro passado, os bancos avaliaram o metro quadrado dos apartamentos em Portugal em 1.046 euros, menos 14,6% do que no mesmo mês de 2009. Todavia, a queda dos preços não foi igual em todas as regiões. Os números do Instituto Nacional de Estatística mostram, por exemplo, que o imobiliário alentejano foi o que mais sofreu e que o açoriano foi o mais resistente.

A crise imobiliária não foi, no entanto, suficiente para tornar o mercado imobiliário português mais homogéneo. O Observador mergulhou nos preços dos apartamentos T3 em algumas capitais de distrito para descobrir onde 100 mil euros conseguem comprar mais metros quadrados de casa.

Este é o número de metros quadrados que é possível comprar nestas 14 capitais de distrito com 100 mil euros, de acordo com o preço médio por metro quadrado dos T3 calculado pelo BPI Expresso Imobiliário. Infografia. Andreia Reisinho Costa.

Braga é, claramente, a capital de distrito onde 100 mil euros compram mais metros quadrados. Do lado oposto está Lisboa, onde o mesmo montante compra um quinto da mesma área. Usámos, como referência, os T3 à venda no portal BPI Expresso Imobiliário. Por falta de anúncios estatisticamente suficientes, excluímos Coimbra, Santarém, Setúbal e Vila Real da análise.

Os números dos metros quadrados que 100 mil euros podem comprar não mostram que a dimensão das habitações é muito díspar. Mas a verdade é que um T3 no Porto é 63% maior do que um T3 em Évora, por exemplo. Por isso, calculámos a proporção de um apartamento médio que 100 mil euros conseguem comprar nas 14 cidades analisadas.

Ao comparar o número de metros quadrados que é possível comprar com 100 mil euros com a dimensão média dos T3 nas cidades, descobre-se qual a proporção do apartamento que 100 mil euros conseguem comprar. Em Lisboa e no Porto, conseguem 30% do T3, enquanto que, em Braga, Portalegre, Bragança, Guarda e Castelo Branco, 100 mil euros ultrapassam o valor médio dos T3. Aí, o montante começa a pagar um segundo apartamento.

Ao comparar o número de metros quadrados que é possível comprar com 100 mil euros com a dimensão média dos T3 nas cidades, descobre-se qual a proporção do apartamento que 100 mil euros conseguem comprar. Em Lisboa e no Porto, conseguem cerca 30% do T3, enquanto que, em Braga, Portalegre, Bragança, Guarda e Castelo Branco, 100 mil euros ultrapassam o valor médio dos T3. Aí, o montante começa a pagar um segundo apartamento. Infografia. Andreia Reisinho Costa.

Lisboa e Porto são as cidades onde 100 mil euros são mais insuficientes para comprar um T3. Em Braga, Portalegre, Bragança, Guarda e Castelo Branco, este pecúlio é mais do que suficiente para comprar um apartamento com três quartos. A análise do Observador incluiu 1.798 apartamentos T3 à venda nas 14 cidades.

Os preços dos imóveis em Portugal estão longe dos valores mais altos a nível internacional. Na lista de nações analisadas pelo Global Property Guide, um portal de referência para o imobiliário residencial internacional, o mercado nacional surge na 72.ª posição entre 97.

Os preços médios do metro quadrado em Portugal ficam na 72.ª posição entre 97 nações abrangidas peas análises do Global Property Guide. Infografia: Andreia Reisinho Costa.

Os preços médios do metro quadrado em Portugal ficam na 72.ª posição entre 97 nações abrangidas peas análises do Global Property Guide. Infografia: Andreia Reisinho Costa.

Se 100 mil euros permitem comprar 57 metros quadrados em Portugal, em média, assumindo os preços do Global Property Guide, o mesmo dinheiro não chega para três metros quadrados no Mónaco.

À frente de Portugal, além dos dez mais caros, está Espanha (3.442 euros por metro quadrado na 33.ª posição). Lituânia (1.998 euros), Eslováquia (1.982 euros) e Marrocos (1.700 euros) estão entre os que têm valores mais próximos de Portugal.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)