Um aviso em que a Decathlon recomenda que os clientes que sejam “grupo de risco” da Covid-19 não entrem nas suas lojas circula nas redes sociais e já foi partilhado por centenas de utilizadores do Facebook. Isto porque surge no final do aviso uma nota, escrita a letras mais pequenas, em que a empresa de produtos de desporto detalha o que considera serem grupos de risco: ainda que alguns palavras não estejam visíveis, além de pessoas “acima de 60 anos”, de pessoas obesas ou hipertensas, lê-se também “funcionário de saúde”. Ora, esta recomendação gerou indignação entre os utilizadores que começaram a partilhá-la, sugerindo que o caso aconteceu em Portugal. Só que, apesar de verdadeiro, este aviso não foi colocado em Portugal, mas numa loja no Brasil — que já lamentou o sucedido.

A publicação foi vista por mais de 25 mil utilizadores deste que começou a ser partilhada

Um utilizador, por exemplo, partilhou o aviso, escrevendo na descrição que o caso aconteceu na Decathlon de Alfragide, na Amadora, identificando mesmo a página da loja no Facebook na sua publicação. “E quando a Decathlon de Alfragide barra à entrada a obesos, hipertensos, idosos e PESSOAL DE SAÚDE??”, escreveu. Aliás, a própria empresa acabou por responder à publicação nos comentários, explicando que se tratou de “uma comunicação isolada e insensata de uma loja no Brasil”, que “já emitiu um comunicado a pedir desculpa pelo triste sucedido”.

A resposta da Decathlon Amadora à publicação

Foi exatamente isso que aconteceu. O aviso foi, de facto, colocado numa loja da Decathlon, mas no Brasil. E na sequência da polémica gerada no Brasil, a empresa emitiu um comunicado a explicar que, assim que tomou conhecimento da existência dessa mensagem, ela “foi retirada imediatamente”.

Tratou-se de um ato isolado, decorrente de um erro da loja que não estava autorizada a criar comunicação em nome da empresa e que não condiz com a missão e os valores da Decathlon”, adianta ainda.

No comunicado, a Decathlon Brasil lamenta “profundamente os danos causados a todas as pessoas que se sentiram ofendidas por essa comunicação infeliz”. “Repudiamos qualquer tipo de discriminação e reconhecemos o papel fundamental dos profissionais de saúde ontem, hoje e sempre. Todos são sempre bem vindos em nossas lojas”, lê-se ainda.

Caros esportistas, Identificamos hoje pela manhã um comunicado insensato na porta de uma de nossas unidades. Assim que…

Posted by Decathlon Brasil on Monday, June 15, 2020

Ao E-farsas, um site brasileiro de combate às notícias falsas, fonte da Decathlon admitiu que a empresa foi apanhada de surpresa e explicou que o aviso partiu de uma “atitude insensata de um colaborador de uma de nossas unidades”. 

O Observador questionou também a Decathlon Portugal sobre se um aviso deste género tinha sido colocado em alguma loja em território português — o que foi negado. Fonte da empresa garantiu que se tratou de um “ato isolado numa loja no Brasil, resultante de uma ação local e totalmente desfasada das linhas orientadoras da Decathlon Brasil e Decathlon United”. “Foi uma comunicação insensata e que não representa, nem está em linha, com a missão e os valores da Decathlon”, informa ainda, lamentando:

Apesar de não ser uma situação ligada às lojas portuguesas, a Decathlon Portugal lamenta profundamente a situação e eventuais incómodos que tenham sido causados a todas as pessoas que se sentiram visadas. Repudiamos qualquer tipo de discriminação e reconhecemos o papel fundamental dos profissionais de saúde que, diariamente, lutam, correm riscos, cuidando de todos nós com a sua força incansável.

Apesar de não ser possível ler o aviso completo em algumas publicações, além das pessoas “acima de 60 anos”, de pessoas obesas ou hipertensas, e profissionais de saúde, também é recomendado que doentes crónicos e fumadores não entrem nas lojas. No comunicado, está escrito “fumante”, uma palavra que não é usada em Portugal, e “doente crônico”, que está escrita na grafia portuguesa do Brasil. Ora, estes detalhes são suscetíveis de lançar dúvidas à partida.

O aviso original colocado numa loja da Decathlon

Conclusão

Circula nas redes sociais um aviso em que a Decathlon recomenda que os clientes que pertençam a “grupos de risco” — entre eles profissionais de saúde — não entrem nas suas lojas.

Esta recomendação, apesar de verdadeira, foi colocada numa loja do Brasil e foi retirada assim que foi identificada. A Decathlon Brasil emitiu um comunicado onde lamentou o sucedido e explicou que se tratou de “um ato isolado, decorrente de um erro da loja que não estava autorizada a criar comunicação em nome da empresa e que não condiz com a missão e os valores da Decathlon”.

O Observador contactou, ainda assim, a Decathlon Portugal que também garantiu que se tratou de um “ato isolado numa loja no Brasil” e uma “comunicação insensata”, que “não representa, nem está em linha, com a missão e os valores da Decathlon”.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

Nota 2: O Observador faz parte da Aliança CoronaVirusFacts / DatosCoronaVirus, um grupo que junta mais de 100 fact-checkers que combatem a desinformação relacionada com a pandemia da COVID-19. Leia mais sobre esta aliança aqui.

IFCN Badge