A morte de George Floyd — detido e asfixiado por um polícia, que manteve um joelho em cima do pescoço do homem durante vários minutos — desencadeou uma onda de manifestações que se tem traduzido em milhares de pessoas nas ruas dos EUA e em várias cidades do mundo, incluindo Lisboa. Os protestos anti-racistas têm no centro da discussão a violência policial, mas também a discriminação racial sentida sobretudo pela comunidade afro-americana.

De acordo com uma publicação viral no Facebook, a gota de água para a revolta pode ter sido o que aconteceu em Minneapolis a 25 de maio, mas tudo fará parte de um plano bem maior e mais antigo do magnata húngaro-americano George Soros. “Vou derrubar os Estados Unidos financiando grupos de ódio negro. Vamos colocá-los em uma armadilha mental e fazê-los culpar os brancos”, teria dito em setembro de 2014 ao jornal alemão “Bild”. Nada disto é verdade: nem a entrevista aconteceu, nem o milionário disse estas frases.

Publicação que atribuiu falsamente citação a George Soros em entrevista que também não existiu

No arquivo da publicação alemã nenhuma das pesquisas que o Observador fez devolveu resultados no mês de setembro de 2014. Se esquecermos o ano e o mês e escrevermos “George Soros interview [entrevista]”, ficamos na mesma. Em 2014, o “Bild” apenas publicou dois artigos que falam vagamente de Soros. Um, de abril desse ano, é sobre políticos búlgaros e o outro, de novembro, sobre doações milionárias para eleições no congresso norte-americano.

À agência “Reuters”, o jornal garantiu não existir nada mais além disso. “Não houve nenhuma entrevista com George Soros no ‘Bild’ ou em ‘bild.de’ em 2014”, disse um porta-voz. “O meme é falso”, acrescentou.

Também The Open Society Foundations, a organização fundada por George Soros — no site oficial está descrita  como “o maior financiador privado do mundo de grupos independentes que trabalham pela justiça, governação democrática e direitos humanos” —, afirmou à Reuters através de email que “esta citação é uma completa fabricação”:

O discurso atribuído a Soros, que diz ainda que “a comunidade negra é a mais fácil de manipular”, circula nas redes sociais desde 2016. Nessa altura, a plataforma de fact check “Snopes” já tinha desmontado a história e identificado a origem. Tudo terá começado a 19 de agosto desse ano no Tumblr, na página “Overpasses for America”.

Agora que a publicação reapareceu na sequência dos mais recentes acontecimentos nos Estados Unidos, uma ativista conservadora, Candace Owens, usou o Twitter para acusar George Soros de pagar a estes “bandidos” e de estar a “financiar o caos via a sua Open Society Foundation”.

A entidade respondeu na mesma rede social. “O senhor Soros e a Open Society Foundations opõem-se a qualquer tipo de violência e não pagam a pessoas para protestar. Lamentamos, através de alegações infundadas, o esforço de distrair da crise da brutalidade policial em Minneapolis e em demasiadas outras partes do país”, pode ler-se no Tweet.

Conclusão

George Soros nunca disse que pretendia financiar grupos de ódio negro para derrubar os Estados Unidos. A entrevista citada também não existe. Informação circula desde 2016 e reapareceu agora, na sequência dos protestos anti-racismo nos EUA. A Open Society Foundations, organização criada pelo magnata, garantiu igualmente que a citação é uma “completa fabricação”.

De acordo com o sistema de classificação do Observador este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge