No final de julho, começou a circular nas redes sociais uma publicação que visava alertar “principalmente as raparigas menores” para um predador sexual que andava nas ruas de Ponte de Lima. O post, utilizando linguagem alarmante, relata que uma jovem de 16 anos teria sido abordada “junto ao Continente” por um indivíduo que se masturbava dentro do carro. Mas o Comando Distrital da PSP de Viana do Castelo diz não ter registo de qualquer queixa ou denúncia dos factos descritos e ocorridos naquele dia.

A publicação detalha a forma como o alegado suspeito se movimenta. O homem em causa andaria a “rondar as ruas de Ponte de Lima” à procura de “meninas sozinhas e desprevenidas” para “se auto-satisfazer sexualmente no seu carro, enquanto as vê a andar”. O post adianta que o suspeito chegaria a “parar o carro ao lado delas para que elas vejam o está a fazer”. Na descrição, lê-se, ainda, que o homem circula numa “viatura de marca Seat, branca, cujas letras são QN“. Depois, o autor da publicação relata uma situação que teria ocorrido no dia 24 de julho, perto do supermercado Continente, em Ponte de Lima, com uma jovem de 16 anos.

A publicação que circula nas redes sociais

O Observador questionou o Comando Distrital da PSP de Viana do Castelo sobre a situação relatada na publicação. Numa resposta enviada por escrito, o comandante distrital, o Intendente Raul Curva, explicou que “não existiu nenhuma denúncia relativa a esse facto, nem foi do conhecimento direto desta polícia qualquer ocorrência dessa natureza, nessa data“.

Não é possível afirmar de forma coerente e rigorosa a veracidade dos factos descritos na publicação, por não haver comunicação nem a respetiva denúncia”, respondeu a PSP ao Observador

O comandante alerta, no entanto, que ocorreu uma “denúncia de uma prática semelhante, supostamente praticada por um indivíduo”, também junto ao Continente, mas no dia 1 de junho — ou seja, quase dois meses antes da data em que teria ocorrido a situação relatada na publicação. Mais: nesta denúncia de dia 1 de junho há “referência a uma viatura com características diferentes da mencionada na publicação“.

Assim, a publicação parte de uma situação em relação à qual as autoridades não têm registo — embora tenham registo de uma outra com características semelhantes dois meses antes — para gerar alarme social. Mesmo que tal tivesse de facto acontecido, podia tratar-se de um caso isolado, não sendo suficiente para concluir que há um predador sexual a perseguir jovens nas ruas de Ponte de Lima.

O comandante da PSP de Viana do Castelo alerta também, que “este comando de polícia está atento a este tipo de situações e tem efetuado policiamento assíduo em zonas de maior concentração de pessoas”. Na eventualidade da informação ser verdadeira, a partilha deste tipo de dados poderia até prejudicar uma eventual investigação. Daí que as autoridades aconselhem os utilizadores, mesmo aqueles que partilham este tipo de informações de boa-fé e com o intuito de alertar a população, que não o façam e que contactem a polícia para obterem informações.

Publicações deste género são bastante frequentes. Em maio, surgiu um outro post sobre duas mulheres que teriam sido perseguidas, agredidas e violadas na zona do Pinhal Novo. Na altura, o Observador questionou a PJ de Setúbal, que informou não ter conhecimento daquela alegada ocorrência, adiantando não haver “nada parecido” em investigação.

Fact Check. Homem anda a perseguir, agredir e a violar mulheres no Pinhal Novo?

Também em dezembro de 2019, circulou um alerta no Facebook onde se lia que “uma rapariga foi violada, outra assaltada e uma outra sofreu uma tentativa de assalto” em Coimbra. Na altura, o Observador contactou a PSP de Coimbra, que negou, igualmente, ter registo de qualquer destas situações.

Fact check. Um rapariga foi violada, outra assaltada e outra sofreu uma tentativa de assalto em Coimbra?

Conclusão

Circula nas redes sociais uma publicação que relata que, no dia 24 de julho, uma jovem de 16 anos teria sido vítima de assédio sexual “junto ao Continente”, em Ponte de Lima.

O Comando Distrital da PSP de Viana do Castelo diz não ter registo de qualquer denúncia dos factos descritos com estas características e ocorridos nesse dia. Ocorreu, de facto, uma “denúncia de uma prática semelhante”, também junto ao Continente, mas no dia 1 de junho — ou seja, quase dois meses antes da data em que teria ocorrido a situação relatada na publicação. Mais: nesta denúncia de dia 1 de junho há “referência a uma viatura com características diferentes da mencionada na publicação”. Mesmo que essa situação tivesse de facto acontecido, podia tratar-se de um caso isolado, não sendo suficiente para concluir que há um predador sexual a perseguir jovens. Assim, a informação publicada no post é falsa e serve apenas para gerar alarme social.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge