Desde que a vacina contra a Covid-19 começou a ser administrada em diversos países, começaram a surgir nas redes sociais várias publicações com informações falsas relacionadas com pessoas que as tomaram. A mais recente afirma que morreu a enfermeira Tiffany Dover, que desmaiou depois de ter sido vacinada no CHI Memorial Hospital em Chattanooga, no estado norte-americano do Tennessee. Só que isso não é verdade: o próprio hospital negou a informação e até publicou um vídeo onde a profissional de saúde aparece, depois de ter tomado a vacina. Mesmo o desmaio não foi motivado pela vacina.

Em apenas dois dias, a publicação já teve mais de 200 partilhas

A enfermeira fez parte de um grupo de três médicos e três enfermeiros do CHI Memorial Hospital que recebeu as primeiras doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19 no dia 17 de dezembro. Pouco depois de ter recebido a vacina, e enquanto dava uma entrevista aos jornalistas que ali se encontravam, Tiffany Dover sentiu-se mal e caiu no chão. “Ela nunca perdeu a consciência e recuperou rapidamente”, esclareceu o hospital num comunicado feito nesse dia.

[Vídeo que mostra o momento em que a enfermeira caiu no chão]

Prova de que a enfermeira recuperou rapidamente é que, minutos depois, deu uma nova entrevista aos jornalistas a explicar que tem “um histórico de resposta exagerada à dor”. “Por isso, se eu tiver dor de alguma coisa, uma unha encravada ou bater com o meu dedo do pé em algum lado eu simplesmente desmaio“, explicou ainda, detalhando que a dor no braço de ter recebido a vacina “é mínima”, mas “não é preciso muito” para ter esta reação. “Eu sinto-me bem. Provavelmente, devo ter desmaiado seis vezes nas últimas seis semanas. É comum”, acrescentou ainda.

[Vídeo que mostra a entrevista que a enfermeira deu logo após de ter sentido mal e a explicar o que aconteceu]

Logo nesse dia, Jesse Tucker, médico dos cuidados intensivos do CHI Memorial Hospital, explicou aos jornalistas que “o episódio de desmaio não é uma reação à vacina” mas, sim, “relacionada a condição médica” da pessoa que a recebeu, neste caso, a enfermeira. Ainda assim, o médico lembrou que esta “é uma reação que pode acontecer muito frequentemente com qualquer vacina”, já que “algumas pessoas sentem-se mal quando veem a seringa”. “Não há razão para suspeitar de que é uma reação à vacina”, insistiu. O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças também explica no seu site que desmaiar após tomar qualquer vacina é um sintoma frequente e que já recebeu “relatos de pessoas que desmaiaram após tomar quase todas as vacinas”.

[Vídeo com as declarações do médico Jesse Tucker]

Logo no dia em que esta situação aconteceu, o CHI Memorial Hospital publicou nas suas redes sociais esclarecimentos sobre o sucedido e, na sequência do surgimento de rumores de que a enfermeira teria morrido, fez uma publicação no Twitter em que dizia que a enfermeira agradecia a “preocupação que têm mostrado em relação a ela”. “Ela está em casa e está bem. Pede privacidade para ela e para a sua família”, lê-se ainda.

No dia 21, o hospital publicou um vídeo em que a enfermeira Tiffany Dover aparece ao lado de vários colegas que seguram cartazes com mensagens de apoio à vacinação contra a Covid-19. “Temos o prazer de partilhar convosco que Tiffany Dover está bem. Aqui está um pequeno vídeo dela hoje rodeada pelos seus colegas que a apoiam”, lê-se na descrição do vídeo.

Já há cerca de uma semana surgiu uma publicação no Facebook que alegava que a CNN tinha publicado um vídeo de Margaret Keenan, a primeira pessoa a tomar a vacina contra a Covid-19, a receber a injeção um mês e meio antes de acontecer. Na verdade, a 8 de dezembro, este vídeo aparecia de facto neste artigo da CNN datado de 22 de outubro, mas porque está acompanhado por uma galeria que é atualizada automaticamente com vídeos mais recentes relacionados com o tema da notícia — neste caso, a pandemia da Covid-19. Quer isto dizer que, no site da CNN, uma notícia mais antiga é continuamente atualizada com vídeos mais recentes, mesmo que esses vídeos tenham sido captados depois de a notícia ter sido escrita e publicada.

Fact Check. História da primeira mulher a receber vacina da Covid-19 no Reino Unido é falsa?

Conclusão

Uma publicação afirma que morreu a enfermeira Tiffany Dover, que desmaiou depois de ter sido vacinada no CHI Memorial Hospital, nos Estados Unidos. Primeiro, é preciso perceber que o desmaio não foi uma reação à vacina. A enfermeira explicou numa entrevista logo depois de se ter sentido mal que tem “um histórico de resposta exagerada à dor”. E basta ter uma unha encravada ou bater com o pé em algum sítio para desmaiar.

Depois, além de ter aparecido nesta entrevista momentos depois de se ter sentido mal, a enfermeira Tiffany Dover já apareceu num vídeo ao lado de vários colegas que seguram cartazes com mensagens de apoio à vacinação contra a Covid-19. O próprio hospital já negou a informação e garante que a profissional de saúde está bem.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

Nota 2: O Observador faz parte da Aliança CoronaVirusFacts / DatosCoronaVirus, um grupo que junta mais de 100 fact-checkers que combatem a desinformação relacionada com a pandemia da COVID-19. Leia mais sobre esta aliança aqui.

IFCN Badge