Margaret Keenan, de 90 anos, foi a primeira pessoa a ser vacinada contra a Covid-19, no passado dia 8 de dezembro. Foi um dia histórico, mas também motivo para começarem a surgir nas redes sociais teorias da conspiração relacionadas com este evento. Uma das publicações alega que Margaret Keenan já tinha sido filmada a receber uma injeção a 22 de outubro de 2020 e que esse vídeo tinha sido publicado no site da CNN, por lapso. “A mesma roupa, mesma enfermeira, mesma sala, mesa cadeira e mesmo ângulo da câmara”, lê-se na publicação.

Esta publicação já foi vista por cerca de 800 utilizadores

A publicação é acompanhada por duas capturas de ecrã: uma mostra uma notícia sobre Margaret Keenan de 8 de dezembro, nomeadamente sobre o facto de ter sido a primeira pessoa do mundo a receber a vacina; a outra mostra uma reportagem da CNN de 22 de outubro, em que se vê uma imagem da idosa de 90 anos com as mesmas roupas, no mesmo cenário a receber uma vacina pela mesma enfermeira. Na tese do utilizador do Facebook que fez a publicação, isto mostra que esta história é falsa e este evento não passou de uma simulação para fazer propaganda à vacina. Aliás, o autor alerta mesmo outros utilizadores para a possibilidade de a CNN poder vir a mudar o vídeo assim que se aperceber do erro.

De Margaret à enfermeira, passando por um Shakespeare de 81 anos: os relatos do início da vacinação no Reino Unido

Na verdade, a 10 de dezembro este vídeo aparecia de facto neste artigo da CNN datado de 22 de outubro, mas não quer dizer que tenha sido publicado nesse dia por lapso — até porque ainda não tinha acontecido. A explicação é simples: à semelhança do que acontece noutros artigos da CNN, também este está acompanhado por uma galeria que é atualizada automaticamente com vídeos mais recentes relacionados com o tema da notícia — neste caso, a pandemia da Covid-19. Quer isto dizer que, no site da CNN, uma notícia mais antiga é continuamente atualizada com vídeos mais recentes, mesmo que esses vídeos tenham sido captados depois de a notícia ter sido escrita e publicada.

Daí que, de facto, no dia 10 de dezembro, quando se abria o artigo da CNN de 22 de outubro, aparecia o vídeo de Margaret Keenan a tomar a vacina contra o novo coronavírus, produzida pela Pfizer e pela BioNTech. Esta captura de ecrã feita pela AFP no dia 10 de dezembro mostra exatamente isso:

Captura de ecrã feita a 10 de dezembro pela AFP que mostra o vídeo de Margaret Keenan num artigo de 22 de outubro

No entanto, no dia em que o artigo foi publicado, a 22 de outubro, esse vídeo não aparecia na galeria — uma vez que Margaret Keenan só viria a tomar a vacina mais de um mês depois. Basta, aliás, fazer uma pesquisa no site Archive — um site que guarda versões antigas de páginas na internet — para perceber isso mesmo: a 22 de outubro a notícia era acompanhada por outros vídeos.

Arquivo mostra que à data da publicação, 22 de outubro, o vídeo de Margaret Keenan não aparecia no artigo da CNN

Prova de que estas galerias de vídeo estão em constante atualização é que, atualmente, o vídeo de Margaret Keenan já não surge no artigo, mas sim outros mais recentes. Numa captura de ecrã feita mais recentemente, 14 de dezembro, é possível perceber que a galeria do mesmo artigo de 22 de outubro já foi atualizada. Agora, o vídeo mais recente que aparece é o de Sandra Lindsay, a enfermeira que recebeu a primeira vacina nos Estados Unidos, precisamente esta segunda-feira, 14 de dezembro.

Captura de ecrã feita a 14 de dezembro mostra que o vídeo de Margaret Keenan já não aparece

Conclusão

Publicação no Facebook alega que a CNN publicou vídeo de Margaret Keenan, a primeira pessoas a tomar a vacina contra a Covid-19, a receber a injeção um mês e meio antes de acontecer. Na verdade, a 8 de dezembro este vídeo aparecia de facto neste artigo da CNN datado de 22 de outubro, mas não quer dizer que tenha sido publicado nesse dia por lapso — até porque ainda não tinha acontecido.

À semelhança do que acontece noutros artigos da CNN, este está acompanhado por uma galeria que é atualizada automaticamente com vídeos mais recentes relacionados com o tema da notícia — neste caso, a pandemia da Covid-19. Quer isto dizer que, no site da CNN, uma notícia mais antiga é continuamente atualizada com vídeos mais recentes, mesmo que esses vídeos tenham sido captados depois de a notícia ter sido escrita e publicada.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

Nota 2: O Observador faz parte da Aliança CoronaVirusFacts / DatosCoronaVirus, um grupo que junta mais de 100 fact-checkers que combatem a desinformação relacionada com a pandemia da COVID-19. Leia mais sobre esta aliança aqui.

IFCN Badge