A 1 de junho surgiram vários vídeos nas redes sociais com o mesmo conteúdo, tanto no Facebook como no Twitter: as imagens demonstravam uma suposta detenção de um cidadão negro nos Estados Unidos da América. Esses vídeos atingiram mais de um milhão de visualizações no Facebook e 24 mil partilhas nas últimas 24 horas. O vídeo é, de facto, verdadeiro, mas o cidadão em causa não é agente do Federal Bureau of Investigations (FBI). Também não é verdade que o vídeo tenha sido filmado em Los Angeles, mas sim em Rochester, no Minnesota. Já quanto à data, esta detenção aconteceu em 2019 e não este ano. Trata-se, por isso, de uma publicação enganadora.

Uma das partilhas do vídeo, que diz que o visado é agente do FBI 

Os EUA estão a viver um dos momentos mais caóticos e violentos dos últimos tempos, desde que o país está a enfrentar a pandemia da Covid-19 e sobretudo depois da morte do afro-americano George Floyd, às mãos da polícia. Desde então, tem sido comum circularem publicações, tanto falsas como enganadoras, nas várias redes sociais. Este vídeo é um dos que têm aparecido como estando relacionado com os confrontos entre os manifestantes que estão nas ruas e a polícia, no país presidido por Donald Trump. Escutando o vídeo, é possível perceber que o homem resiste à detenção, alegando que a polícia “está a assumir que se trata de uma pessoa que não é”.

Mas em nenhuma parte do vídeo é percetível qual é a profissão do homem, nem que é agente do FBI, nem que tenha outra função qualquer. Só a meio do vídeo, quando os polícias recolhem a identificação do indivíduo é que decidem retirar-lhe as algemas, não se comprovando, porém, que se trata de um agente das autoridades.

Além disto, esta detenção, feita por dois polícias brancos, ocorreu em 2019 e não agora, como conta a Reuters, que também verificou a publicação. Esta agência de notícias enviou um email ao Departamento da Polícia de Rochester, onde ocorreu a detenção, para perceber a veracidade do que é relatado no post e a polícia respondeu o seguinte:“Ao contrário dos rumores que pairavam nas redes sociais, este indivíduo não pertence ao FBI”.

Esta informação é corroborada por um comunicado de imprensa do próprio Departamento, de 1 de junho de 2020, no qual se esclarece que os polícias “reconheceram uma pessoa que teria um mandado de detenção por assalto, por ter mais ou menos a mesma altura e idade”. Lê-se também que “os polícias pediram o nome do indivíduo, que não se demonstrou cooperante, tendo os polícias determinado que havia suspeita razoável para o deter”. Essa detenção acabou por acontecer mas, depois “a identificação foi revelada, demonstrado que não se tratava do indivíduo procurado”, lê-se no comunicado.

Para além da Reuters, o Snopes, outro site de fact-check, também verificou a publicação e também a declarou como enganadora. Feitos os devidos esclarecimentos, convém dizer que não é possível apurar a verdadeira nacionalidade do indivíduo. Além disso, é também importante dizer que, segundo a Reuters, o utilizador de Instagram que captou o vídeo decidiu partilhá-lo agora, por causa do homicídio de George Floyd, em Minneapolis, que provocou tensões raciais em todo o país. Ou seja, com o intuito de parecer atual.

Este artigo também confirma que o rumor que diz que o indivíduo seria um agente do FBI começou no Twitter. Até porque, no vídeo original, não existia essa alegação, como confirmado pelo Snopes. Foi também nessa rede social que surgiu um utilizador a afirmar que o indivíduo não era um agente do FBI, mas sim paramédico, dando pelo nome de Atter. No entanto, o Observador tentou chegar ao tweet onde se encontram essas alegações, mas já não está disponível.Por isso, não é possível verificar se se trata de uma informação verdadeira.

Conclusão

A1 de junho surgiram vários vídeos nas redes sociais a mostrar uma suposta detenção de um cidadão negro nos Estados Unidos da América, dizendo tratar-se de um agente do FBI. O vídeo é, de facto, verdadeiro, mas o cidadão em causa não é agente do Federal Bureau of Investigations (FBI). Também não é verdade que o vídeo tenha sido filmado em Los Angeles, mas sim em Rochester, no Minnesota. Já quanto à data, esta detenção aconteceu em 2019 e não este ano, como confirmado pelo Departamento da Polícia daquela região à agência Reuters. Tanto a Reuters como o site de fact check Snopes confirmaram que não se trata de um agente do FBI e que o rumor de que se trataria de um agente da autoridade começou nas redes sociais, não sendo sequer referido no vídeo original.

De acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ENGANADOR

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

PARCIALMENTE FALSO: as alegações dos conteúdos são uma mistura de factos precisos e imprecisos ou a principal alegação é enganadora ou está incompleta.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge