Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Bom dia. Este liveblog termina aqui. A partir de agora pode acompanhar no novo liveblog as notícias deste sábado, que abre com a garantia da Organização Mundial da Saúde em como ainda não há registo de letalidade associada à variante Ómicron. Aceda aqui.

    Não há registo de mortes provocadas pela variante Ómicron, garante OMS

  • Itália. Homem tenta receber vacina com braço de silicone. Objetivo? Aceder ao certificado digital

    Em Itália, um homem de 50 anos utilizou um braço de silicone para receber a vacina. Enfermeira percebeu que era uma farsa e comunicou o caso às autoridades. Homem responde agora por crime de fraude.

    Itália. Homem tenta receber vacina com braço de silicone. Objetivo? Aceder ao certificado digital

  • Posso fazer um autoteste para ir a um evento desportivo ou a um festival? E à discoteca?

    Os autotestes têm de ser feitos pelo próprio. Para serem válidos no acesso a um evento precisam de supervisão, mas basta um responsável no local, não um profissional de saúde. Não servem nos bares.

    Posso fazer um autoteste para ir a um evento desportivo ou a um festival? E à discoteca?

  • Brasil totaliza 615.400 mortes e 22,1 milhões de casos confirmados

    O Brasil, um dos países mais atingidos pelo coronavírus no mundo, totalizou hoje 615.400 mortes e 22.129.409 casos confirmados de Covid-19 em fase de alerta para o surgimento da variante Ómicron.

    De acordo com os números divulgados pelo Ministério da Saúde brasileiro, foram registadas 221 mortes e 10.627 infeções no país sul-americano nas últimas 24 horas.

    Embora o medo de um recrudescimento da doença tenha voltado a mobilizar pessoas e governos em todo o mundo devido à descoberta da nova variante Ómicron do vírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, a pandemia está a perder força no Brasil desde junho e as médias diárias de mortes e infeções estão ao nível mais baixo em vários meses.

    Enquanto o número médio de mortes na última semana ficou em 206 por dia até hoje, o terceiro menor desde abril do ano passado, o de infeções caiu para 8.826 por dia, o segundo menor desde maio do ano passado.

  • Linhas vermelhas. Entre as crianças até aos 9 anos, incidência continua a subir

    É, de novo, a mais alta do país. Se, na semana passada, a taxa de incidência entre as crianças até aos 9 anos teve uma variação de crescimento superior a 50%, esta semana esse valor foi de 32%.

    Quer dizer que a pandemia continua a crescer entre os mais jovens, a faixa onde está a maioria da população não vacinada. O valor fixou-se nos 597 casos por 100 mil habitantes, o que corresponde a um indicador de gravidade muito elevada, por estar acima do limiar definido de 240 casos por 100 mil habitantes.

    O crescimento não é exclusivo dos mais novos. “Há uma tendência crescente da incidência cumulativa a 14 dias em todos os grupos etários”, lê-se no relatório das linhas vermelhas.

    Fonte: DGS e Insa

    Abaixo de valores de gravidade muito elevada só se encontram os maiores de 80 anos.

    O grupo etário com 65 ou mais anos, por exemplo, teve 253 casos por 100 mil habitantes, com a variação deste indicador a mostrar uma tendência fortemente crescente (menor do que nas crianças).

  • Linhas vermelhas. Algarve e Centro já passaram os 480 casos por 100 mil habitantes

    Ao olhar para a taxa de incidência a 14 dias, a região mais afetada foi a Algarvia. No continente, a taxa foi de 386 casos por 100 mil habitantes, enquanto que no Algarve chegou aos 708.

    Todas as regiões apresentam incidências acima do limiar de 240 casos, lê-se no relatório que frisa que Algarve e o Centro (528) estão acima dos 480 casos por 100 mil habitantes.

    Fonte: DGS e Insa

  • Escola Portuguesa de Cabo Verde sem aulas presenciais durante dez dias

    A Escola Portuguesa de Cabo Verde, na Praia, vai encerrar a atividade presencial durante dez dias, a partir de segunda-feira, depois de 24 alunos, entre 885, terem testado positivo para Covid-19 desde 23 de novembro.

    Em declarações esta noite à Lusa, a diretora da Escola Portuguesa de Cabo Verde — Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPCV-CELP), Suzana Simões Maximiano, confirmou que a decisão foi tomada pela Delegacia de Saúde da Praia, numa altura em que, preventivamente, os alunos do segundo ciclo ao secundário já estavam a ter aulas na modalidade de ensino à distância, alargando-se agora ao pré-escolar e primeiro ciclo.

    “É uma medida preventiva, a aplicar a partir de segunda-feira. Por decisão da Delegacia de Saúde, a EPCV-CELP encontra-se encerrada por dez dias, como forma de controlar a propagação da Covid-19”, explicou.

  • Linhas vermelhas. Pandemia com intensidade elevada e tendência fortemente crescente

    O relatório semanal da DGS e do Insa revela ainda que a pandemia está com intensidade elevada e tendência fortemente crescente a nível nacional.

    Já a pressão nos serviços de saúde e o impacto na mortalidade são moderados, mas a tendência é crescente. Tal como a semana passada, DGS e Insa voltam a alertar para o surgimento da Ómicron, uma nova variante de preocupação, que obriga a reforçar a vigilância epidemiológica, virológica e do controlo de fronteiras em Portugal.

    A taxa de incidência ficou nos 386 casos por 100 mil habitantes, acumulado nos últimos 14 dias, com tendência fortemente crescente a nível nacional. Já o R(t) apresenta valor igual ou superior a 1 em todas as regiões.

    Se o crescimento da pandemia não for alterado, o limiar de 480 casos por 100 mil habitantes pode ser ultrapassado em menos de 15 dias — alerta idêntico àquele que foi feito na semana anterior.

    Fonte: DGS

  • Linhas vermelhas. Em Portugal há 34 casos detetados de Ómicron

    A variante Delta continua a ser a variante dominante em todo o país, mantendo a frequência relativa de 100% — embora o Insa frise que esta avaliação está em atualização.

    Da Ómicron, ainda em evolução e investigação, tinham sido identificados um total de 34 casos no relatório semanal das linhas vermelhas da pandemia.

  • Linhas vermelhas. Metade do número crítico de camas está ocupado

    A pressão nos cuidados intensivos está a aumentar, com o número de camas ocupadas por doentes em estados muito grave ou crítico a disparar. A nível nacional, metade do número crítico de camas está ocupado — numa semana subiu de 40% para 50%.

    “O número de casos de Covid-19 internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) no continente revelou uma tendência fortemente crescente, correspondendo a 50% (na semana anterior foi de 40%) do valor crítico definido de 255 camas ocupadas”, lê-se no relatório semanal da DGS e do Insa que monitoriza as linhas vermelhas da pandemia.

  • Certificados digitais de Angola são reconhecidos em Portugal e outros países

    Os certificados digitais de vacinação emitidos em Angola são reconhecidos e válidos em Portugal e em todos os países do mundo, disse hoje o ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Francisco Furtado.

    “Ainda não há um certificado internacional aprovado pela OMS [Organização Mundial de Sáude], mas os nossos cartões de vacina com as duas doses são suficientes para usar em qualquer parte, não há restrições”, disse Furtado, também coordenador da comissão multissetorial de prevenção e combate à Covid-19, após uma reunião em Luanda.

    O ministro comentava assim informações que circularam nas redes sociais dando conta de cidadãos angolanos cujos certificados digitais teriam sido rejeitados em Portugal, sublinhando que não são verdadeiras.

  • 1,2 milhões de doses de vacinas doadas por Portugal vão ser entregues, aponta GAVI

    O mecanismo internacional de partilha de vacinas para a Covid-19 COVAX tem prevista a entrega de mais de 1,2 milhões das cerca de 2,4 milhões de doses doadas por Portugal e que ainda não foram encaminhadas para países recetores.

    O presidente da Aliança Global para as Vacinas (GAVI), que co-lidera o mecanismo COVAX, José Manuel Durão Barroso, disse à agência Lusa que já foram entregues 658.700 doses de vacinas doadas por Portugal da marca AstraZeneca, de fabrico britânico, 360 mil das quais foram entregues ao Egito e 298.700 ao Senegal.

    O COVAX tem já agendada para 11 deste mês a entrega de 453.600 doses de vacinas disponibilizadas por Portugal a Angola, país que deverá receber no total 931.200 doses de doação portuguesa.

    “Num futuro próximo”, serão encaminhadas 165.000 doses para a Etiópia, 159.120 para o Vietname e 14.400 para Vanuatu, referiu.

  • “Vamos ver se salvamos a Páscoa de 2022”, diz Secretária de Estado do Turismo

    A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, admitiu hoje que se continuam a viver “tempos muito difíceis e muito desafiantes”, questionando se a conjuntura permitirá ao setor “salvar a Páscoa” de 2022.

    “Lembro que nas primeiras reuniões que tivemos com a APAVT [Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo] falávamos da Páscoa de 2020, se a salvaríamos. Não salvámos a Páscoa, não salvámos o Natal, também não salvámos a Páscoa de 2021 e vamos ver se salvamos a Páscoa de 2022”, disse Rita Marques no 46.º Congresso Nacional da APAVT, que terminou hoje em Aveiro.

    A secretária de Estado lembrou que a pandemia teve “impactos brutais” no turismo, um dos setores mais afetados pela Covid-19.

  • Grupo de Apoio Orçamental espera que vacinação em Cabo Verde tenha impacto na recuperação do turismo

    O Grupo de Apoio Orçamental (GAO) elogiou hoje os “progressos excecionais” de Cabo Verde na campanha de vacinação contra a Covid-19, esperando que tenha um impacto positivo na recuperação do turismo, se as condições globais melhorarem no próximo ano.

    “O GAO elogia o Governo pela resposta política adequada à crise, incluindo progressos excecionais na campanha de vacinação. Os parceiros observaram com satisfação que 68% da população elegível está agora totalmente vacinada”, considerou o grupo, em comunicado divulgado no final de uma missão de cinco dias a Cabo Verde.

    Na comunicação, o grupo, constituído por Luxemburgo, Portugal, União Europeia, Grupo Banco Africano de Desenvolvimento e grupo Banco Mundial, salientou que o Governo implementou “com sucesso” o seu plano de vacinação através de políticas sanitárias eficazes, o que se traduziu em taxas de infeções e transmissão reduzidas.

  • Moedas defende abertura da economia sob ameaça de novas restrições que afetem o turismo

    O presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, tomou hoje posse como presidente da direção da Associação Turismo de Lisboa (ATL) e defendeu a abertura da economia sob a ameaça de novas restrições devido à pandemia de Covid-19.

    “Serei sempre o presidente da câmara que está do lado da abertura da economia. Temos que continuar a testar mais as pessoas, temos que vacinar mais as pessoas, mas não podemos voltar a fechar a economia”, afirmou Carlos Moedas (PSD), no âmbito da cerimónia de tomada de posse como presidente da direção da ATL, que decorreu em Lisboa.

    O autarca de Lisboa referiu que a evolução da pandemia de Covid-19 faz com que se viva, “de novo, sob a ameaça de novas restrições, novas barreiras, que afetam, em primeiro lugar, o setor do turismo”, a que se junta a crise energética, que afeta as cadeias de produção, abastecimento e estabilidade dos preços, e “a forte escassez de mão-de-obra”, que “é mais um obstáculo que põe em causa uma retoma sólida e consistente” do setor.

  • Testes de antigénio de uso profissional serão grátis também em laboratórios

    É uma nova medida para facilitar a testagem. Os Testes Rápidos de Antigénio (TRAg) de uso profissional são gratuitos, não apenas em farmácias, mas também em Laboratórios de Patologia Clínica e Análises Clínicas aderentes. Estará em vigor, pelo menos, até 31 de dezembro, segundo comunicado do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.

    Em Portugal continental,relembra o Insa, existem 278 concelhos, sendo que 216 têm, pelo menos, uma farmácia ou laboratório que realizam TRAg comparticipados — ou seja, existe cobertura em 77% dos concelhos, no âmbito da portaria de comparticipação de testes.

    Já a lista de farmácias e laboratórios aderentes “é dinâmica e encontra-se em permanente atualização”.

  • Noite do Mercado no Funchal realiza-se sem comes e bebes no exterior

    A tradicional Noite do Mercado, que decorre anualmente em 23 de dezembro no Funchal, realiza-se este ano em moldes diferentes dos habituais, anunciou a Câmara Municipal, indicando que não irá autorizar estabelecimentos de comidas e bebidas no exterior.

    O presidente da Câmara do Funchal, Pedro Calado, explicou aos jornalistas que teve uma reunião com as autoridades de saúde e que uma das preocupações “era manter viva a noite do mercado” e a outra “proteger a saúde de todos os madeirenses”.

    “Conciliar as duas coisas não era fácil, por isso aquilo que nós acabámos por definir foi uma Noite do Mercado tradicional, como se fazia antigamente”, revelou o chefe do executivo municipal, acrescentando que a autarquia não vai licenciar os estabelecimentos de comidas e bebidas no exterior do Mercado dos Lavradores, no Funchal, como habitualmente acontecia antes da pandemia de Covid-19.

  • "Com farmácias cheias fiz teste no estádio"

    Para entrar no Estádio da Luz e assistir ao dérbi de Lisboa é necessário apresentar um teste negativo à covid-19, e há adeptos que o optaram por fazer em cima da hora do jogo, junto ao estádio.

    “Com farmácias cheias fiz teste no estádio”

  • Portugal realiza novos voos de apoio ao regresso entre Lisboa e Maputo

    O Governo português vai realizar novos voos de apoio ao regresso entre Lisboa e Maputo, no próximo dia 8, e no sentido inverso, nos dias 9 e 11, anunciou hoje a embaixada portuguesa na capital moçambicana.

    Os voos serão operados pela companhia aérea portuguesa TAP e, segundo a embaixada, “subsequentemente, serão organizados voos adicionais desta natureza de acordo com as necessidades”.

    Anteriormente, as autoridades portuguesas tinham anunciado a realização de um voo entre Portugal e Moçambique para hoje, que chega este sábado a Maputo, regressando a Lisboa no mesmo dia.

    Uma outra ligação está prevista entre Lisboa e Maputo no domingo e regressando a Moçambique na segunda-feira.

    A segunda ligação sai da capital portuguesa no domingo, aterrando em Maputo na segunda-feira, dia 6, voando nesse dia para Lisboa.

  • Trinta e sete trabalhadores infetados no Hospital da Figueira da Foz

    O Hospital Distrital da Figueira da Foz regista um surto de Covid-19 com 37 trabalhadores infetados, mas que não afeta a atividade assistencial, confirmou hoje à agência Lusa fonte hospitalar.

    “A atividade hospitalar não está comprometida. Em nada altera atividade regular do hospital, mantendo-se as consultas e as cirurgias”, salientou fonte do gabinete de comunicação.

    Segundo a mesma fonte, o surto afeta maioritariamente os Serviços de Gestão e Logística, tendo condicionado uma das áreas de serviço, que, entretanto, foi assegurada por outros profissionais da mesma área.

    Entre os 37 trabalhadores que testaram positivo, detetados esta semana em ações de rastreio após um primeiro caso de infeção, encontram-se um médico e dois enfermeiros, acrescentou.

1 de 4