Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Mais uma vez, o Governo mandou e os católicos foram forçados a obedecer a mais uma intromissão estatal. O Estado decidiu autoritariamente e impôs-se à Igreja: César é quem manda na casa de Deus, põe e dispõe, decide o que se festeja e o que não se celebra, onde se pode ir e aonde não se deve estar, quem se pode deslocar e quem deve ficar retido em inconstitucional prisão domiciliária.

É sabido que os novos ‘donos disto tudo’ tomaram de assalto não apenas os órgãos de soberania, como também a administração pública e não só: tudo é do Estado e o Estado são eles. Esperava-se que respeitassem a Igreja, como sempre a Igreja respeitou o Estado e as suas autoridades sanitárias, mas a ingerência estatal é cada vez mais descarada, insolente e provocadora.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.