Obrigado por ser nosso assinante. Pode ler este e todos os artigos do Observador em qualquer dispositivo.

Pode-se fazer e pensar muito pelo Natal. Repetir contos e histórias. Promover jantares e almoços. Reviver o passado. Encontrar um propósito. Procurar um sentido. Fazer um balanço. Oferecer presentes. Reunir a família. Partilhar dores e alegrias. Relembrar quem partiu. Procurar perspetivar o futuro. Balancear o passado. Desenhar planos para um novo ano que se aproxima. Viver o espírito de Natal: perdoar, acarinhar, redimir, agradecer, nascer. Nascer (renascer) para viver.

Há, nesta época, o velho hábito de oferecer presentes. Bens materiais. Não há um velho hábito de oferecer ideias. Pior, não há um velho hábito de oferecer algumas das melhores ideias e quotes de quem pensou sobre a sociedade atual e futura. E, em particular, sobre o futuro do mundo – e de todos nós – que será significativamente diferente do passado recente e remoto. E com essas ideias aproveitar para refletir, projetar, preparar, receber, agradecer e (re)nascer na mudança, acarinhando-a, mostrando ao mundo a felicidade por poder continuar a viver mais um Natal.

O CEO da PayPal dizia recentemente, com uma certa razão, que “o grande impedimento para o sucesso futuro de uma empresa é o seu próprio passado de sucesso”. É assim para a empresa. É assim para cada um de nós. Ter sucesso não é ter tido sucesso (seja lá isso o que for). E este é talvez o primeiro pensamento e presente que nos devemos oferecer a nós mesmos: glórias passadas não determinam glórias futuras. Chama-se a isto humildade. Ou seja, o primeiro pensamento e presente que gostaria de sublinhar é o da humildade. Importa bem a cada um de nós e a todos neste Natal.

Depois vem Stiglitz relembrar que “o PIB (e o PIB per capital) não é a melhor forma de avaliar o bem-estar geral”. Ou seja, há aqui uma income trap que se esconde atrás de um valor e atrás de uma média. Bem-estar não é só PIB. E PIB per capita é só uma média. Há desníveis. Há desvio-padrão. Há assimetrias. E ao nosso lado há quem muito precise. Muito mesmo. E nem sempre é de dinheiro que estamos a falar. É de proximidade, convite, acolhimento, partilha, amizade. Que o mesmo é dizer, bem-estar (sentido lato).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

RMS ou Richard Stallman, o grande ativista do software livre e dos movimentos de software livre tem um quote muito simples que o leva a “sharing is good, and with digital technology, sharing is easy”.  Sem deturpar as ideias de RMS mas, antes, aproveitando o muito que nos vem dizendo sobre a partilha e a liberdade de “código”, sublinho a importância da palavra partilhar neste Natal. De tão simples que é, experimente.

Melinda Gates traz-nos uma quote fantástica que deveria servir como presente para todos neste Natal. “Goals are only wishes unless you have a plan”. E as palavras presente a reter e oferecer são duas: objetivos e plano.

Há também um quote recente, para mim essencial, que provém do CEO da SalesForce e que dizia claramente a propósito da revolução industrial 4.0, ou se quisermos digital: “The Fourth Industrial Revolution Starts With One Very Important Point: Trust”. E a palavra a reter e oferecer neste Natal é confiança.

Do mesmo CEO da SalesForce vem outro quote fundamental: “Speed is the New Currency of Business”. E a palavra a reter e oferecer neste Natal é mesmo velocidade. Porque sermos velozes fará toda a diferença no mundo em que nos movemos.

Marissa Mayer, CEO da Yahoo USA, assina também um quote que relembra, de alguma forma, a nossa liberdade, impondo limites à ética com que fazemos as coisas: “What is clear is that users own their data and should have control on how their data is used”. E a palavra a reter e oferecer neste Natal, ou melhor as duas palavras, são liberdade e respeito pela individualidade.

Economic Growth doesn´t mean anything unless it is inclusive growth” como relembrou, e bem, John Green, autor e vlogger. E a palavra a reter e oferecer neste Natal é inclusão.

Até o líder da China, com pouca interseção com o Natal do Ocidente, tem um quote que pode ser muito apropriado a este Natal: “Innovation is an inexhaustible engine for economic development”. E a palavra a reter e oferecer é, mesmo, inovação.

Compondo tudo, porque quase tudo o que aqui se usa são quotes provindas de Davos 2018, há muitos presentes para este Natal: Humildade, bem-estar, partilha, objetivos, plano, confiança, velocidade, liberdade, respeito pela individualidade, inclusão e inovação. Para cada palavra ou grupo de palavras uma ideia.

Para o Natal de cada qual, a começar por mim próprio, será bom oferecer humildade, propiciar bem-estar, acreditar na partilha e na construção conjunta, estabelecer objetivos e um plano para os atingir, ter confiança e acreditar nos demais, ser rápido a agir e fazê-lo em liberdade (com total respeito pela individualidade de cada qual), propiciar e promover a inclusão e inovar sempre na forma de fazer, de pensar, de agir.

Se é um gestor ou tem propensão a sê-lo não deve esquecer um quote final de Peter Senge: “Para ser um líder, comece por ser um ser humano”. Pense nisto, pelo menos neste Natal.