Casa Branca

“Prendam-na”? Ivanka Trump (também) usou o email pessoal para assuntos da Casa Branca

Um dia depois de se saber que o genro de Trump usou o email pessoal para tratar de assuntos oficiais, desta vez foi Ivanka que usou a conta errada. E há mais a fazê-lo na Casa Branca.

Ivanka é também assessoria do pai na Casa Branca

SHAWN THEW/EPA

A filha e assessora do presidente norte-americano Donald Trump, Ivanka Trump, utilizou o seu email pessoal para tratar de assuntos oficiais da Casa Branca, foi revelado na segunda-feira, um dia depois de se saber que também o marido Jared Kushner utilizou o email pessoal em questões diplomáticas.

Os documentos foram divulgados ao abrigo do Freedom of Information Act, segundo o qual os cidadãos e organizações públicas podem requerer acesso a informações consideradas de interesse público. Os emails trocados por Ivanka Trump datam de 28 de fevereiro deste ano, pouco depois da tomada de posse do seu pai enquanto presidente dos Estados Unidos.

Neste emails, que incluíam uma das colaboradoras mais próximas de Ivanka (Julie Radford), a filha do presidente expressava à diretora da Administração de Pequenas Empresas, Linda McMahon, o seu interesse em participar nas iniciativas empresariais dirigidas a mulheres.

“Há alguém na tua equipa com quem a minha chefe de pessoal, Julie (em ‘cc’), possa contactar para explorarmos formas de colaboração?”, perguntava Ivanka. Os emails vêm a público apenas um dia depois de saber que também o seu marido Jared Kushner utilizou o email pessoal para discutir assuntos diplomáticos com outros membros do governo norte-americano.

Jared Kushner usou email pessoal na Casa Branca

Mas Kushner não foi o único. Também Stephen Bannon e Reince Priebus utilizaram o email pessoal em conversas que incluiam também Gary D. Cohn e Stephen Miller. Com Ivanka nesta lista são já seis os atuais ou antigos membros da Casa Branca que utilizaram emails pessoais em assuntos diplomáticos, escreve o The New York Times.

Durante a campanha presidencial, Donald Trump foi muito duro nas críticas a Hillary Clinton pelo escândalo de emails que envolviam a candidata democrata à Casa Branca. “Prendam-na”, disse na altura e instou a cânticos nos seus comícios para que a opositora fosse acusada e julgada.

Em julho de 2016 – em plena corrida eleitoral – o FBI concluiu que Hillary recorreu a um servidor privado para tratar de assuntos oficiais da Casa Branca enquanto era secretária de Estado (2009-2013), durante a administração Obama. A própria Clinton admitiu que esta foi uma das principais causas da sua derrota eleitoral.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site