O leilão das 85 obras de Miró que estão na posse do Estado português estava marcado para junho mas foi novamente adiado. O anúncio foi feito esta sexta-feira pela Parvalorem e pela leiloeira Christie’s.

“A Christie’s espera reagendar a venda da coleção de 85 obras de arte de Joan Miró assim que as questões legais e comerciais em torno da coleção se encontrem resolvidas”, refere em comunicado a empresa criada pelo Estado para gerir os ativos tóxicos do BPN.

Este ano é já a segunda vez que o leilão previsto para acontecer e Londres é adiado devido aos processos judiciais interpostos pelo Ministério Público, em Portugal, para impedir a saída das obras do país.