Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

As autoridades israelitas e palestinianas aceitaram o convite do Papa Francisco e vão encontrar-se no Vaticano para um reunião simbólica, mas que pode resolver o impasse que as negociações atingiram nas últimas semanas. “Ofereço-vos a minha casa no Vaticano para ser o lugar deste encontro de preces” convidou o Papa, tendo em seguida respostas positivas de Shimon Peres, presidente de Israel, e de Mahmoud Abbas, presidente do Estado da Palestina.

Tanto Peres como Abbas elogiaram a proposta de Francisco e disseram estar disponíveis para este encontro. “O Presidente Peres sempre apoiou, e continua a apoiar, qualquer tentativa para o progresso da paz” foi a resposta do gabinete do Presidente, enquanto Abbas, ao lado do Papa disse “acolher qualquer iniciativa para promover a paz na Terra Santa”. Apesar deste encontro ser meramente simbólico, já que não se espera qualquer tipo de negociação política, esta pode ser uma oportunidade para retomar as conversações que ficaram bloqueadas há algumas semanas. Um convite a Netanyahu seria considerado demasiado “político”.

O que terá levado o Papa a acelerar e promover publicamente este convite, é o fim do mandato de Shimon Peres, que com 90 anos, deixará a presidência de Israel em Julho. Por isto, o reverendo Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano espera que o encontro aconteça “rapidamente”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR