O Governo garante que está a seguir com atenção a crise no Grupo Espírito Santo (GES), mas que não se vai meter. No final do Conselho de Ministros desta quinta-feira, o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares quis no entanto deixar uma garantia a quem tem dinheiro no Banco Espírito Santo: “Os depositantes do banco podem ficar perfeitamente tranquilos”.

Em resposta aos jornalistas, Marques Guedes começou por dizer que a questão “não diz respeito diretamente ao Governo” uma vez que essa é responsabilidade da “regulação e fiscalização” que está a cabo do Banco de Portugal. “Não existe nenhuma intervenção do Governo nesta matéria , nem deve existir, na minha opinião”, disse.

Mais tarde, o ministro garantindo que o BdP está a fazer tudo o que está ao alcance do regulador, deixou a certeza: “O Banco de Portugal afiança que não existem quaisquer problemas de solidez do banco. Os depositantes do banco podem estar perfeitamente tranquilos”.

Ainda no que à crise no GES diz respeito, o ministro disse que os reguladores “há muito que vêm acompanhando esta situação e estão a tomar as medidas adequadas e que consideram necessárias para que a crise não extravase para fora do grupo ou mesmo dentro do grupo para a entidade bancária”, ou seja, para que seja acautelado o risco de contágio.

As declarações do ministro acontecem depois de o Banco de Portugal ter garantido que o banco está sólido.