Um dos líderes da autoproclamada República Popular de Donetsk, Denis Pushilin, criticou hoje o presidente russo, Vladímir Putin, por recusar intervir militarmente no sudeste da Ucrania e dar esperança aos separatistas para depois os abandonar. “O que dizer. Deram-nos esperanças e logo depois abandonaram-nos. Foram muito agradáveis as palavras de Putin sobre a defesa do povo russo, de ‘Novorossia’ (como são chamados os separatistas), mas eram apenas palavras”, lamentou Denis Pushilin na rede social Twitter.

O líder pró-russo pediu desculpas aos habitantes de Slaviansk, que se rendeu hoje às forças da Ucrânia, depois de mais de dois meses de intensos combates que causaram muitas mortes e danos na cidade. Hoje de manhã, os rebeldes pró-russos entrincheirados depois de quase três meses em Slaviansk entregaram a cidade às forças de Kiev.

Em meados de abril, Putin advertiu Kiev para o eventual envio de tropas para leste da Ucrânia, se não fossem respeitados os direitos de russos e falantes de russo.