O atual presidente executivo da Portugal Telecom não assumirá o cargo de vice-presidente da CorpCo, a empresa que resultará da fusão entre a operadora portuguesa e a Oi, de acordo com uma notícia publicada pelo Diário Económico. Nos termos do acordo inicial celebrado entre as duas empresas, Henrique Granadeiro iria ocupar aquelas funções, mas a revisão do contrato de fusão, na sequência da subscrição de duas emissões de papel comercial da RioForte pela PT, levou a que o gestor fosse afastado daquela posição.

A decisão de Henrique Granadeiro de conceder um financiamento de curto prazo à holding do Grupo Espírito Santo, cujo primeiro vencimento expirou na terça-feira, 15 de julho, sem que fosse reembolsado, não foi levada a conselho de administração. Este facto desencadeou as renúncias de dois administradores brasileiros da PT, Fernando Portella, representante da Jerassati, e Otávio de Azevedo, da Andrade Gutierrez.