Bebés

Tecnologia para descanso dos pais

5.649

Esqueça os rádios e as câmaras que o mantêm em “contacto” com o seu filho. A moda dos “wearables” chegou aos bebés, para descanso dos pais.

Sproutling Baby Monitor

Longe vai o tempo em que pais preocupados mantinham as casas em silêncio para que se pudesse ouvir o choro irrequieto do seu bebé. Primeiro surgiram os rádio-transmissores, aparelhos colocados à cabeceira do berço e que detetam o som, avisando os pais se o bebé está acordado, a dormir ou a sonhar, com o treino aprende-se a conhecer o “som” dos sonhos. Com a evolução tecnológica acrescentou-se ao som a imagem, tornando comuns as câmaras que mantêm a ligação visual entre o ambiente escuro do quarto e a sala de estar ou a cozinha.

Agora, a empresa norte-americana Sproutling apresentou o passo seguinte: uma pulseira com sensores que se coloca no tornozelo do bebé. O Sproutling Baby Monitor foi desenhado para ser utilizado em bebés a partir dos 6 meses, não tem câmara, mas está equipado com sensores que monitorizam o sono. Permite não só saber se o bebé está a dormir, mas também em que fase do sono está e até prever quando é que ele vai acordar. Além disso, mede a temperatura corporal, o ritmo cardíaco, o movimento e capta som. Também consegue recolher informação sobre as condições do quarto, tais como temperatura, humidade e nível de ruído. Todos estes dados são comunicados em permanência via bluetooth. A respetiva aplicação do smartphone possui um sistema de alertas e permite ligar vários aparelhos, ou seja, controlar remotamente o sono de vários bebés.

A empresa anuncia que o sensor é feito em silicone de elevada qualidade, que é lavável e que pode ser colocado apenas com uma mão. O Baby Monitor custará 280 doláres e já está disponível em pré-venda — as primeiras encomendas começarão a ser entregues em março de 2015. O seu desenvolvimento resultou de uma campanha de angariação de fundos lançada há menos de um ano, que angariou 2,6 milhões de dólares, um sinal claro do interesse dos investidores e do mercado neste tipo de dispositivos. Um produto claramente direcionado para os “novos pais”. Sim, porque este produto não é para os bebés, mas para os pais.

O Baby Monitor foi uma ideia que surgiu de uma conversa entre Chris Bruce e Matthew Spolin, no decorrer de uma conferência de tecnologia médica em 2012. Ambos pais pela primeira vez, partilhavam as mesmas preocupações e ansiedades com o sono dos seus filhos. Para concretizar a ideia consultaram especialistas em tecnologia e também médicos pediatras, mas estes argumentaram que era “informação a mais”, que são poucos os pais que conseguem interpretar o batimento cardíaco ou as flutuações naturais da temperatura corporal de um bebé, por isso o desafio não foi apenas o tecnológico, mas também a forma como se apresenta a informação, para não deixar os pais ainda mais ansiosos ou alarmados. A Sproutling diz ter encontrado uma solução que promete tranquilizar os pais, mantendo-os informados e confiantes no sono dos seus bebés. É tecnologia feita à medida e ao serviço dos pais do novo milénio.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Conflitos

Mediterrâneo

Luis Teixeira

Huntington defendeu, como Braudel, que a realidade de longa duração das civilizações se sobrepõe a outras realidades, incluindo os Estados-nação em que se supôs que a nova ordem mundial iria assentar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)