E já são quatro as corridas levadas até ao fim. Cristiano Ronaldo voltou a ser indicado pela UEFA como um dos três finalistas ao prémio de Melhor Jogador Europeu do ano, distinção que o português nunca venceu. Desta vez, também não deverá ser fácil. O melhor marcador de sempre da seleção nacional lutará pelo prémio com um gigante que, no Verão, ergueu a taça de campeão do mundo, e com um irrequieto careca que, aos 30 anos, terá sido a maior ameaça individual no último Mundial.

Ou seja, os adversário são Manuel Neuer, guarda-redes alemão, e Arjen Robben, extremo holandês, ambos do Bayern de Munique. O sub-capitão da seleção holandesa é o único deste trio que, em 2013/2014, apenas conquistou um título coletivo (a Bundesliga). Tanto Neuer como Ronaldo conseguiram colocar mais troféus no armário.

O guardião alemão, além da liga alemã, defendeu a baliza da seleção germânica que, em julho, conquistou o Mundial, derrotando a Argentina (1-0) na final da competição, realizada no Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro. Já Cristiano Ronaldo, além da Copa do Rey, em Espanha, venceu a Liga dos Campeões com o Real Madrid, em Lisboa, marcando até um golo na vitória (4-1) frente ao Atlético de Madrid, no Estádio da Luz — Ronaldo terminou a prova com 17 golos marcados, um recorde na história da Liga dos Campeões.

Embora já se refira à temporada atual, o português também ganhou a Supertaça Europeia, na terça-feira — dos seus pés direito e esquerdo, aliás, saíram os remates que deram os dois golos da vitória ao Real Madrid, contra o Sevilha.

É com tudo isto que se farão as contas dos 54 jornalistas (um de cada federação-membro da UEFA) que votarão no vencedor, que será revelado a 28 de agosto, na cerimónia onde também se realizará o sorteio para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

Em 2011, na primeira edição do prémio, Cristiano Ronaldo terminou no 3.º lugar, atrás de Xavi Hernández e Lionel Messi (ambos tinham vencido a Champions). No ano seguinte, acabaria em 2.º, desta feita ultrapassado por Andrés Iniesta, eleito melhor jogador do Europeu de 2012, conquistado pela Espanha. Em 2013, o português voltou a ficar no 3.º posto, pior que Lionel Messi e Frank Ribéry, francês que, com o Bayern de Munique, conquistara a Liga dos Campeões na temporada anterior.