A rentrée não está a ser fácil para Hollande. Depois de ser forçado a remodelar o Governo – e das críticas das suas novas escolhas, vindas do seu próprio partido -, o Presidente enfrenta agora uma nova ameaça com o lançamento iminente de um livro da autoria da sua ex-companheira e ex-primeira-dama francesa, Valérie Trierweiler. A jornalista escreveu um livro em que vai contar pela primeira vez a sua perspetiva sobre o tempo passado no Eliseu.

Esta quinta-feira chega às bancas francesas o livro “Obrigado por este momento” (ou em francês “Merci pour ce moment”) e quem já teve acesso à obra diz que “não poupa” François Hollande. É um relato na primeira pessoa dos 18 meses passados por Trierweiler como primeira-dama, já que, apesar de não ser casada com Hollande, este insistiu que a sua companheira fosse tratada como sua mulher, tendo direito a gabinete próprio.

O que está a despertar mais interesse neste relato é o fim da relação, já que Hollande foi fotografado pela revista “Closer” a tentar sair da casa da atriz Julie Gayet sem ser visto em janeiro de 2014 e quinze dias depois a relação com Trierweiler chegou ao fim. No seu livro, a jornalista diz que este fim abrupto foi “como cair de um arranha-céus” ou “ser atingida por um comboio de alta velocidade”. Depois do caso amoroso do Presidente ser conhecido, Trierweiler foi internada devido a “stress acumulado”.