O PSD e o CDS vão viabilizar a constituição da comissão de inquérito proposta pelo PCP ao Banco Espírito Santo e ao Grupo Espírito Santo. A votação será no dia 19 de setembro, mas os dois partidos da maioria concordam com a intenção dos comunistas. No entanto, esta comissão só deverá ter início em outubro.

“Temos disponibilidade para viabilizar a comissão de inquérito para aferir toda a situação em volta do BES”, disse o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, à saída da conferência de líderes parlamentares em que todos os partidos concordaram com a constituição do inquérito. Posição secundada por Nuno Magalhães, líder da bancada do CDS.

E, para já, a maioria não levanta objeções ao defendido pelo PCP, garantindo Montenegro que há abertura para se “escrutinar os atos do governo” neste inquérito. Mas, acrescenta o líder da bancada do PSD, o partido espera que o PCP não tenha já tirado conclusões antes de o inquérito começar: “Se o PCP já tem conclusões, não terá uma participação muito ativa ou proativa”, acrescentou.

A comissão será discutida e votada no dia 19 de setembro, onde será ainda “apurado” o objeto e o calendário proposto pelo PCP. No entanto esta comissão, para ser constituída, terá de esperar pelo fim da comissão de inquérito à aquisição de equipamentos militares (a comissão dos submarinos), isto porque, disse Montenegro, “há o entendimento que não devem funcionar mais de duas comissões de inquérito ao mesmo tempo”.

A proposta do PCP foi acompanhada por todos os partidos. O PS garante que “não há reservas” do partido “quanto à amplitude da comissão de inquérito”, disse Alberto Martins, líder parlamentar dos socialistas, apesar de os comunistas proporem que a investigação comece em 2008, ainda durante o mandato do Governo de José Sócrates.

O Bloco de Esquerda, que apresentou na comissão de orçamento e finanças requerimentos para ouvir responsáveis no caso, também concorda com o inquérito parlamentar dizendo que “é essencial saber tudo o que aconteceu no BES”. “Não pode ficar nada por esclarecer”, rematou Pedro Filipe Soares.