Desde 2012 que o nome do escritor japonês Haruki Murakami vem sendo dado, pelas casas de apostas, como o favorito para ganhar o prémio Nobel da Literatura, mas tal ainda não se concretizou. Em 2012, ganhou o chinês Mo Yan e, no ano passado, foi a contista canadiana Alice Munro. Será que é desta que Murakami ganha ou o queniano Ngugi wa Thiong’o vai-lhe passar a perna?

De acordo com a empresa de apostas britânica Ladbrokes, Murakami e Thiong’o são os favoritos para receber o prémio Nobel da Literatura, conta o jornal Guardian. Para ambos, a probabilidade de ganhar o Nobel é de uma em quatro hipóteses.

“Há meses que parecia que Murakami ia ser o grande favorito no dia do anúncio, mas Thiong’ó conseguiu captar a imaginação [dos apostadores] na recta final – as suas hipóteses subiram de 12 para um para quatro para um, e poderia facilmente tornar-se o favorito em muito pouco tempo”, afirmou Alex Donohue, porta-voz da Ladbrokes, em declarações ao Guardian.

Ngugi wa Thiong’o é autor de mais de 30 livros, entre romances, peças teatrais e ensaios. O livro Weep Not Child (“Não chores criança”, numa tradução livre; não editado em Portugal), escrito em 1962, é considerado um dos pilares da luta pela independência queniana. E, tal como Murakami, já foi apontado como um dos possíveis vencedores do prémio Nobel em edições anteriores. Caso vença, será o quinto escritor africano a ganhar o prémio.

Murakami, um reconhecido aficionado de maratonas, publicado em Portugal pela editora Casa das Letras, é um dos autores mais procurados no mundo. É reconhecido pela trilogia 1Q84, o romance Sputnik, meu amor e Kafka à beira mar, em todo o mundo.

Já mais distantes dos dois primeiros candidatos, aparecem outros nomes: em terceiro lugar está a jornalista bielorrussa Svetlana Alexievich com 7/1, e o poeta sírio Adonis juntamente com o escritor francês Patrick Modiano, ambos com 10/1 de hipóteses.

A Academia Sueca, responsável pela entrega do prémio, anunciará o vencedor nesta categoria na quinta-feira, às 13 horas – 11 horas portuguesas. José Saramago é o único autor de língua portuguesa que alguma vez ganhou o prémio Nobel da Literatura.