A cidade de Zinder, no centro do Níger, cobriu-se, esta sexta-feira, de fumo e fogo: pelo menos dez igrejas e vários outros edifícios foram incendiados durante uma manifestação contra a presença do presidente daquele país, Mahamadou Issoufou, na marcha em Paris de homenagem às vítimas dos atentados terroristas contra o Charlie Hebdo e o supermercado judaico.

Eram mais de quatro mil os manifestantes “furiosos” que irromperam nas ruas da cidade do Níger, de acordo com as testemunhas ouvidas pela agência espanhola EFE.

Os manifestantes terão sido instigados pelos imãs locais que, durante as orações, os influenciaram a protestar contra o presidente que “insultou o profeta” pelo seu apoio demonstrado às vítimas – sobretudo, porque entre as vítimas estão os cartoonistas do Charlie Hebdo, que, em diversas ocasiões, publicaram caricaturas de Maomé.