Na semana escolhida pelo novo primeiro-ministro grego para um périplo pela Europa para negociar a situação grega, a Comissão Europeia pode estar a estudar uma solução de compromisso para colocar em cima da mesa: o fim da troika. O diário espanhol El País avança que a equipa de Jean-Claude Juncker está a estudar a hipótese de acabar com a parceria com o Fundo Monetário Internacional e o Banco Central Europeu para ajudar às negociações com a Grécia.

Mas acabar com o trio que tem prestado ajuda financeira à Grécia só acontecerá, escreve o El País, se Alexis Tsipras der provas de que quer respeitar os compromissos. Além desta proposta estará ainda a ser estudada uma maneira de aliviar a dívida grega que não passará por um perdão, mas por melhores condições de pagamento como um prolongamento dos prazos ou redução de juros.

Esta solução europeia só avançará se Grécia e União Europeia chegarem a um acordo para a solução pós-fim do resgate, que acontece no final deste mês. A possibilidade em estudo é a de um programa cautelar sem a entrada do FMI, o que permitiria que se desmantelasse a aliança que tem estado a controlar o resgate à Grécia já há cinco anos.

Mas mais do que o lado financeiro, os responsáveis europeus querem que a solução se jogue no tabuleiro político e para que aconteçam avanços, esperam um sinal de Alexis Tsipras, que terá de ser o primeiro a ceder.

Terá sido por isso que o primeiro-ministro grego suavizou o discurso anti-troika, garantindo que tem como intenção respeitar os compromissos assumidos com Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu. As palavras de Tsipras foram ditas depois de o seu ministro das Finanças ter dito que apenas negociava com os parceiros “legítimos” – e não com a troika.

Primeiro passo dado numa semana em que o jogo de forças entre a União Europeia e o novo governo grego conhecerá mais desenvolvimentos. Depois de uma primeira semana frenética do Governo de Tsipras, em que este aprovou uma série de decretos que revertem algumas das principais medidas de austeridade aplicadas à Grécia, Tsipras e o ministro das Finanças, Yanis Varoufakis, têm esta semana um conjunto de reuniões com responsáveis europeus.

O primeiro encontro aconteceu este domingo entre os ministros das Finanças grego e francês, Yanis Varoufakis e Michel Sapin, em que o francês terá mostrado alguma abertura para renegociar as condições de pagamento da dívida grega. Esta segunda-feira, Varoufakis está no Reino Unido para falar com George Osborne. Ontem, no final da reunião com o francês, o grego deixou mais um sinal de aproximação aos parceiros europeus dizendo que, para a Grécia, a “Europa vem primeiro”, mas dizendo que é necessária uma solução para a dívida grega até maio.