O novo primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, inicia este domingo a sua primeira ronda europeia. Roteiro começa pelo Chipre, Itália e França. Tsipras, que tomou posse como primeiro-ministro na passada segunda-feira após a vitória nas eleições legislativas de 25 de janeiro, irá encontrar-se na terça-feira em Roma com o seu homólogo italiano Matteo Renzi.

Um dia depois, na quarta-feira, o novo primeiro-ministro grego estará em Paris, onde será recebido pelo Presidente francês, François Hollande. A ideia é conseguir apoio junto dos socialistas europeus para as suas políticas anti-austeridade e anti-troika. Mas a mão pesada da Alemanha, que já disse várias vezes que não irá permitir o perdão da dívida grega, deverá pairar sobre as conversações.

Tsipras chegará ao Eliseu três dias depois de o ministro das Finanças grego já ter estado em terras gaulesas a apalpar terreno.Varoufakis, aliás, antecipou para o fim de semana a reunião com os ministros das Finanças e Economia, Michel Sapin e Emmaniel Macron, que estava inicialmente marcada para segunda-feira. A conferência de imprensa está marcada para este domingo às 17h locais (16h em Lisboa).

Mas antes de Roma e Paris, Alexis Tsipras passa por Chipre, que tradicionalmente é sempre a primeira deslocação oficial ao estrangeiro de um primeiro-ministro grego.

A ronda de Varoufakis prossegue por Londres, onde se reunirá com investidores e com o seu homólogo britânico George Osborne, e por Roma, onde estará também com o ministro socialista das Finanças.

A ronda europeia dos dois governantes gregos não inclui Berlim, onde várias personalidades, de Angela Merkel a Wolfgang Schäuble (ministro das Finanças), já expressaram diversas vezes a sua posição contra as medidas imediatas tomadas pelo novo Governo grego. Assim que chegou ao poder, Tsipras travou todas as privatizações no setor energético, aumentou o salário mínimo para valores anteriores à troika e contratou funcionários públicos que tinham sido despedidos ou postos no regime de mobilidade.