A câmara estava a filmar, com a mira focada no jornalista que, de microfone na mão, se preparava para entrar em direto diante do Hospital de Milpark, em Joanesburgo. E, do nada, dois homens apareceram e assaltaram o repórter da SABC, uma estação televisiva sul-africana. Tudo diante das câmaras.

O incidente aconteceu na noite de terça-feira, na zona de Parktown, diante do hospital no qual está internado Edgar Lungu, presidente da Zâmbia. O vídeo do roubo mostra que os dois indivíduos se apressaram a levar vários pertences, entre telemóveis e computadores portáteis, enquanto dirigiam várias palavras em zulu, uma das 11 línguas oficiais da África do Sul, ao jornalista e ao repórter de imagem.

O roubo durou apenas alguns segundos e, no final da gravação, ouve-se um dos repórteres a repetir: “Estamos a ser roubados.” Pelo menos um dos assaltantes estaria armado, revelou Vuyo Mvoko, jornalista da SABC. “Eles estavam à procura de telemóveis e, como não lhes estava a dar o meu, um deles chamou o que tinha a arma e disse ‘dubula le nja’ [‘dispara contra este cão’, em zulu]. Nessa altura, a Sophie Mokoena [editora da estação], gritou [ao auricular] ‘dá-lhe o telemóvel’. Acho que levaram dois ou três telefones”, contou.

Aparentemente, os dois assaltantes não se chegaram a aperceber que estavam a ser filmados. A polícia de Gauteng, província que abrange a cidade de Joanesburgo, garantiu, em comunicado, que “tudo fará para que os suspeitos sejam levados à justiça”.

Em 2010, durante o Mundial de futebol acolhido pela África do Sul, altura em que as atenções, portanto, estavam centradas no país, também se registaram alguns episódios de roubos. Em Durban, por exemplo, onde estava hospedada a seleção espanhola, alguém assaltou o quarto de Pedro Rodríguez e Sergio Busquets, antes de jogarem as meias-finais contra a Alemanha. Na Cidade do Cabo, um adepto argentino morreu após sofrer um ataque cardíaco, espoletado no momento em que foi assaltado, na rua, perto do Estádio Green Point.