O felino mais ameaçado do mundo, em particular a reintrodução do mesmo, deram o mote à nova série de selos dos Correios de Portugal. A coleção, com quatro selos e um bloco, foi criada pelo biólogo e ilustrador científico Fernando Correia e será lançada esta quinta-feira.

O objetivo deste novo conjunto é relembrar a reintrodução de linces-ibéricos em Portugal, que se iniciou no final de 2014. A reintrodução tem tido lugar no Parque Natural do Vale do Guadiana, no concelho alentejano de Mértola. Começou com a libertação de dois animais – Katmandu e Jacarandá -, numa primeira fase confinados a um cercado para adaptação. Depois disso já foram libertados mais quatro animais – Kayakweru (que morreu envenenada), Kempo, Loro e Liberdade. Esta terça-feira, as fêmeas Lluvia e Lagunilla ocuparam o cercado que lhes permitirá, depois, serem também libertas na natureza, informou o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

Os selos ilustram vários momentos da vida do lince-ibérico, como a alimentação ou reprodução. Fernando Correia, que teve total liberdade para criar os selos, disse em comunicado que uma “condição deveria ser respeitada”: a referência ao casal de linces-ibéricos cedidos ao Jardim Zoológico de Lisboa, com a missão de sensibilização para os problemas que enfrenta esta espécie.

“Foram precisas quatro semanas intensas, a desenhar e pintar mais de 12 horas por dia, antecedidas por vários dias no Jardim Zoológico de Lisboa a obter esboços de comportamentos e registar os mesmos em fotografia, além de muitas horas também despendidas em pesquisas bibliográficas, na internet e organizando muitas contribuições de especialistas e fotógrafos profissionais”, refere o comunicado, sobre o trabalho de Fernando Correia.

A série filatélica é composta por quatro selos e um bloco: um selo com valor facial de 0,45 euros e uma tiragem de 155 000 exemplares; outro com valor facial de 0,55 euros e tiragem de 120 000 exemplares; um selo com valor facial de 0,72 euros e tiragem de 145 000 exemplares; um selo com uma tiragem de 115 000 exemplares e um valor facial de 0,80 euros; e um bloco com um selo com valor de 2,00 euros e uma tiragem de 40 000 exemplares, refere o site dos CTT.