A unidade especial de polícia da PSP começou a retirar calmamente os lesados que se encontravam a bloquear as entradas da sede do Novo Banco, em Lisboa, cerca das 09h30 desta quinta-feira.

As pessoas que estavam sentadas frente a sede no Novo Banco, entretanto retiradas pela PSP, instalaram-se depois em frente às arcadas da sede do banco. A polícia está a criar condições para os funcionários do Novo Banco poderem entrar na sede do banco, tendo feito um cordão de segurança debaixo das arcadas.

Cerca de 100 lesados do BES concentraram-se esta quinta-feira de manhã em frente às portas da sede do Novo Banco, em Lisboa, em mais uma ação de protesto, levando a polícia a cortar a circulação do trânsito no local. Os primeiros manifestantes chegaram ao local cerca das 7h00 e ocuparam as entradas principais do edifício no cruzamento da avenida da Liberdade com a rua Barata Salgueiro.

O protesto levou a polícia a cortar a circulação do trânsito no cruzamento da rua Castilho com a rua Barata Salgueiro. Cerca de quatro dezenas de polícias encontram-se no local do protesto.

Em declarações à Lusa, Rui Falcão, da AIEPC (Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial), disse que são esperadas mais de 200 pessoas no local, porque “a indignação tem vindo a aumentar”.

No local, ouvem-se buzinas e apitos dos lesados que, munidos de faixas e cartazes, exigem que o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, execute a provisão e sejam ressarcidos do investimento que perderam. Os funcionários do Novo Banco encontram-se nas imediações das instalações, já que não puderam entrar no edifício, uma vez que as portas foram barradas pelos lesados.

A 3 de agosto de 2014, o Banco de Portugal tomou o controlo do BES, após a apresentação de prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades: o chamado ‘banco mau’ (um veículo que mantém o nome do BES e que concentra os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas) e o banco de transição que foi designado Novo Banco.