Primeiro foram os atores Ben Affleck e Jennifer Garner a anunciar o fim de uma união de dez anos, no início de junho. Agora é a vez de a cantora Gwen Stefani passar pelo mesmo, ao escolher a estação mais quente do ano para contar ao mundo que o também romance de longa data (13 anos de casamento) com o músico Gavin Rossdale expirou. Estes são talvez os casos mais mediáticos a nível global, mas estão longe de ser os únicos (também o casal Blake Shelton e Mirand Lambert fez saber que a sua relação já deu tudo o que tinha a dar). O certo é que o pico do verão parece ser a data escolhida para fazer comunicações menos felizes sobre a vida privada dos famosos — e até a Miss Piggy se separou do sapo Cocas.

Os divórcios recentemente comunicados estão a dar origem a muito burburinho, sobretudo na imprensa norte-americana, a qual está a apostada em perceber o que se passa. O USA Today, por exemplo, falou com alguns especialistas em relações públicas e assessores de imprensa para ir ao cerne da questão. Um dos intervenientes é Rob Shuter, ex-publicitário de Hollywood e ex-editor da OK magazine, para quem os famosos escolhem a dedo as alturas certas para a anunciar o fim de uma relação, sendo que a preferência vai para períodos durante os quais as pessoas estejam mais distraídas de modo a que o impacto mediático seja menor — é o caso dos dias de férias, dos feriados ou até das sextas-feiras.

“[O casamento] pode ter acabado há meses, mas eles [os famosos] anunciam durante os dias calmos de verão, num feriado grande ou quando outro divórcio de uma grande celebridade é anunciado”, garante Shuter, assegurando ainda que muitas vezes existem anos de diferença entre a altura em que um casal se separa e a data em que o fim da relação é oficialmente comunicada.

Se sim se não, a verdade é que a separação de Tim Burton e Helena Bonham Carter foi comunicada perto da véspera de natal do ano passado, um dos feriados mais populares no calendário civil — isto apesar de já não estarem juntos desde o início de 2014. À data, o ex-casal garantiu continuar amigo e cuidar em conjunto dos dois filhos. Pediu ainda para que a privacidade de ambos fosse respeitada durante o período em questão — foram 13 anos de vida em comum, embora vivessem em casas separadas.

Melanie Griffith e Antonio Banderas também noticiaram o fim da sua história de amor em maio de 2014, já o calor começava a apertar. A atriz pediu o divórcio a Banderas alegando “diferenças irreconciliáveis”. Em comunicado conjunto, o agora ex-casal escreveu que a decisão foi “consensual” e que pretendiam terminar a sua relação de forma “amigável” de modo a honrar o que viveram juntos.

Outra explicação dada pelo USA Today (e que ajuda a enquadrar as notícias dos divórcios dos famosos) é o facto de, no verão, as pessoas voltarem a atenção para a família em detrimento da vida profissional: “O verão é uma altura de foco, em que a agenda está mais calma e na qual podemos passar mais tempo focados na nossa relação e talvez perceber que não é ali que queremos estar”, diz Megan Daniels, diretora de marketing do site SelectiveSearch.com. “Então, vemos muitas celebridades a decidir tomar partidos diferentes, a ficarem amigas e a partilhar a custódia dos seus filhos.”

Mas nem todas as separações mediáticas parecem respeitar as regras descritas acima e exemplo disso é um dos casos que mais deu que falar, com Gwyneth Paltrow e Chris Martin nos papéis principais. Em março de 2014, Paltrow publicava no site Goop o fim de uma união que durou 11 anos e da qual resultaram os filhos Moses e Apple. A notícia deixou muitos fãs desolados, escrevia a Fox News, que a considerou a separação entre celebridades mais chocante do ano. O divórcio chegaria apenas em abril de 2015.

https://twitter.com/IVKEC/status/623172813181046785

Mas há mais o que dizer sobre o fim das relações de famosos. O assunto não passou despercebido ao Washington Post que preparou um guia para melhor explicar o divórcio de personalidades de renome. A publicação norte-americana divide por cinco etapas aqueles que garante serem os passos definitivos para o fim de um romance público. Tudo começa quando surgem acusações de traições nos media (seja de uma ou de ambas as partes).

Um segundo passo é a existência de um passado que remete para o abuso de substâncias; segue-se a negação de que o casal se vai separar e a ponderação de quando noticiar o divórcio — Affleck e Garner estariam separados há dez meses antes de fazer o comunicado oficial e o divórcio entre Stefani e o agora ex-companheiro era esperado há muito, segundo o que uma fonte não identificada contou à US Weekly. O último ponto identificado pelo Washington Post é, pois, a utilização de uma declaração padrão para tornar público o fim da união e na qual é provável ler-se que a separação foi amigável e que ambos os membros do casal vão continuar a cooperar e a educar os filhos em conjunto:

Depois de pensarmos muito, tomámos a difícil decisão de nos divorciarmos. Vamos continuar com o amor, a amizade e o compromisso de sermos pais dos nossos filhos e pedimos que a privacidade seja respeitada neste período difícil. Este será nosso único comentário sobre este assunto particular, familiar. Obrigado pela compreensão.” Comunicado de imprensa de Ben Affleck e Jenifer Garner

Apesar de termos chegado à decisão mútua de que já não vamos ser parceiros no casamento, permaneceremos parceiros na parentalidade e estamos empenhados em educar os nossos três filhos num ambiente feliz e saudável. Para isso, pedimos de forma respeitosa a privacidade dos media durante este período.” Comunicado de imprensa de Stefani e Rossdale

Depois de uma cuidadosa reflexão e de brigas consideráveis, tomámos a difícil decisão de terminar o nosso relacionamento romântico. Vamos continuar a trabalhar juntos na televisão e em todos os meios de comunicação conhecidos no momento (…). No entanto, as nossas vidas pessoais são distintas e nós vamos estar com outras pessoas, porcos, sapos, etc. Este é o nosso único comentário sobre este assunto privado… a menos que ganhemos a oferta certa. Obrigado pela vossa compreensão.” Comunicado de imprensa de Miss Piggy e do sapo Cocas

Enquanto o ex-publicitário consultado pelo USA Today afirma que existe uma percentagem da população que tira satisfação do facto de algumas celebridades se divorciarem, um artigo publicado no site Health garante que a separação de famosos pode deixar-nos tão tristes como o fim de namoro de dois amigos. Em causa está o facto de a cultura ocidental olhar para as celebridades como exemplos de pessoas bem-sucedidas que, à partida, não teriam motivos por que falhar no casamento — isso e o facto de um Ben Affleck e de uma Gwen Stefani serem reflexões idealizadas de nós mesmos.

E quais são os principais erros cometidos assim que o processo de separação se inicia? A publicação Parade colocou a mesma questão e consultou um conhecido advogado de celebridades de nome Ira Garr. E estas foram as principais ideias que Ira deu em entrevista:

  • Falar com muitas pessoas sobre o companheiro é o ideal, dando origem a especulações na imprensa;
  • Optar pela separação temporária antes do divórcio, uma que vez que durante esse período podem ficar progressivamente afastados;
  • Deixar as emoções sobreporem-se à razão e entrar no processo jurídico com expetativas irrealistas (considerando sobretudo a divisão de bens).