Já se sabia que os resultados dos primeiros testes de stress feitos ao Novo Banco, pelo Banco Central Europeu, seriam dados a conhecer na próxima semana. Mas agora têm data definida, segundo diz o Jornal de Negócios, que cita uma fonte do gabinete de imprensa da autoridade monetária. Os testes serão revelados no dia 14 de novembro, próximo sábado.

Esta é a primeira vez que o Novo Banco, ‘nascido’ em 2014, é alvo dos testes de stress feitos pelo Banco Central Europeu (BCE), que examinam a solidez financeira da instituição e a capacidade desta reagir a eventuais cenários de crise. O ano passado, na sequência da resolução, o Novo Banco foi libertado destes testes.

Os testes indicarão se a instituição financeira tem o capital necessário para cumprir os rácios mínimos exigidos pelos reguladores, e poderão ter um impacto significativo na venda do Novo Banco. Caso seja necessária uma injeção da capital (as notícias têm dado conta de pelo menos mais mil milhões de euros de necessidades), ainda não é certo como será feita: se através de um fundo comprador ou através do Fundo de Resolução da banca – algo já declarado indesejável pelo presidente do BCP, Nuno Amado.

Certo é que o governo ainda em funções, pela voz da ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, já garantiu que um eventual aumento de capital da instituição não terá custos acrescidos para os contribuintes. E o PS parece decidido a procurar uma forma de fazer a recapitalização com capitais públicos.

A incerteza sobre o resultado destes testes foi uma das razões que levou ao adiamento da venda do Novo Banco, já que os candidatos apresentavam reservas sobre os resultados da avaliação do BCE, o que poderia ter um impacto negativo na receita líquida da venda – que se prevê ocorrer em 2016. A venda pode ser total ou parcial.